O Movimento Apostólico de Schoenstatt celebra, no próximo dia 18, os 101 anos de sua fundação

Brasília, 06 de Outubro de 2015 (ZENIT.org) – Estamos no mês missionário! O Movimento Apostólico de Schoenstatt celebra, no próximo dia 18, os 101 anos de sua fundação. Pela Aliança de Amor, o Movimento nasce missionário e vive para a missão, durante os 365 dias do ano!

Nas férias e feriados prolongados, os membros do Movimento saem em grupos para a anunciar Jesus Cristo, a animação é grande e o espírito de família só aumenta. Juntos, parece ser mais fácil conquistar o mundo e anunciar o amor de Deus. Mas, a missão continua quando volta a rotina, o trabalho, o estudo, os compromissos. Essa Família vive a alegria missionária o ano todo.

Um exemplo concreto de missão acontece nas universidades. Em várias instituições de ensino, entre elas, UNB, UFMG, USP, Unicamp, há um apostolado silencioso, porém essencial, que acontece dia-a-dia. Sob os cuidados de jovens missionários, a imagem da Mãe e Rainha caminha entre a comunidade estudantil, levando Jesus à vida de muitos jovens. “A tarefa da Mãe nesse ambiente é justamente distribuir graças para quem é universitário e enfrenta todos os dias o campo pagão de uma universidade”, diz Márcia Nepomuceno, coordenadora da Campanha da Mãe Peregrina na Unicamp.

Várias atividades, durante o período letivo, reúnem esses universitários: momentos de oração e de partilhas, ações solidárias, peregrinações. Márcia destaca: “A Mãe nos ajuda a não perdermos a fé, a nos mantermos firmes e vinculados a Deus. Além disso, a Mãe também já distribuiu graças bem práticas, tais como conceder bolsas para os estudantes, aprovações em projetos, provas, clareza nos estudos e orientações, etc.”.

Thomé Lovato, da União de Famílias de Schoenstatt, é professor dos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia na Universidade Federal de Santa Maria/RS (UFSM). Seu trabalho missionário, além do cuidado pelo planeta, se efetua também pela paternidade espiritual e o empenho pelo testemunho de vida coerente entre o falar e o agir: “Pe. José Kentenich afirmava que a ordem do ser indicava a ordem do agir. Como lido com a dinâmica da natureza na agricultura, aproveito bastante esta realidade para impregnar a ideia de que devemos agir respeitando a ordem estabelecida por Deus na natureza”.

Por uma cultura da Aliança

O Projeto Sabão é um dos campos de missão para jovens schoenstattianos, de Londrina/PR, durante o ano todo. Todos os meses várias famílias assistidas se reúnem para receber formação, recreação e espiritualidade. Além disso, os jovens universitários e recém-formados oferecem orientação em áreas jurídicas, da saúde, artes e informática. “A meta do projeto é educar as pessoas, ajudá-las a melhorar de vida e também proporcionar um encontro com a Mãe de Deus”, explica Anne Ehlke, da Juventude Feminina de Schoenstatt.

 “Cultura do encontro é cultura da Aliança. Isso cria solidariedade”, diz o Papa Francisco para a Família de Schoenstatt, na celebração do centenário, em outubro do ano passado. Ir ao encontro das pessoas, onde elas se estão é meio que os missionários da Campanha da Mãe Peregrina usam para ajudar a renovar a nossa cultura. Na pequena imagem, é Maria e Jesus que vão ao encontro de cada filho – são mais de 16.848.600 os que a recebem – a fim de levar as graças que jorram no Santuário, fazê-lo vivenciar que são amados e abrir caminhos para a vida em comunidade.

O dia a dia do ano todo é permeado de múltiplas outras atividades missionárias, pois, a formação de um mundo novo começa pela renovação do coração, diz ainda o Papa Francisco. São corações apaixonados pela missão que oferecem as horas do seu dia para construir uma cultura do encontro, levar a alegria do Evangelho a tantas pessoas que necessitam.

Viver em Aliança, fortalecido pelos sacramentos, educado, no Santuário, pelo amor de Maria e integrar-se em todos os ambientes partilhando esses dons é uma grande alegria – é o jeito schoenstattiano de missionar.

[Texto enviado a ZENIT pela Ir. Maria Nilza]