WASHINGTON DC, 31 Mar. 16 / 06:30 pm (ACI).- “Não posso acreditar que é um bebê de verdade. Não posso acreditar que alguém tenha feito isto”, disse entre lágrimas Paula Andrews, ao resgatar um menino recém-nascido de um compactador de lixo. Isto aconteceu no dia 25 de março, Sexta-feira Santa, em Everett, estado de Washington (Estados Unidos).

 

Seu noivo, Jeff Meyers, assinalou ao canal de televisão KING, filiada à NBC, que ambos “sentimos que este foi um milagre”.

“Aconteceu na Sexta-feira Santa. Fico emocionado ao falar deste acontecimento”, indicou.

Esta história começou quando Paula chegou ao compactador do prédio onde trabalha como supervisora de manutenção e jogou uma bolsa de lixo. Nesse instante, escutou um bebê chorando e imediatamente entrou no compactador para resgatá-lo.

“Ela deve ter entrado pouco mais de meio metro no compactador de lixo – havia aproximadamente 20 bolsas – e descobriu aí dentro este bebê recém-nascido”, relatou Jeff Meyers, que acompanhava Paula.

Jeff destacou que “graças a Deus” Paula escutou o pranto do bebê antes de pressionar o botão para compactar o lixo.

“Ou seja, se o bebê não tivesse chorado um segundo antes que ela pressionasse esse botão, estaríamos aqui contando uma história muito pior”, disse o jovem à rede KUTV, filiada à CBS.

“Finalmente, ela deu o grito mais triste: ‘é um bebê de verdade!’”.

Segundo relatou Jeff, o bebê foi encontrado cheio de sangue e ainda estava com seu cordão umbilical.

Jeff indicou que “alguém teve o bebê e simplesmente o descartou dentro da lixeira. É a coisa mais triste e mais terrível que vi em toda minha vida”.

O subchefe do Departamento de Bombeiros de Everett, Rick Robinson, disse a KUTV que “se alguém estiver em uma situação na qual simplesmente não sabe o que fazer com seu bebê e tiver que abandoná-lo, o lugar mais seguro para fazê-lo é em um local do Corpo de Bombeiros”.

De acordo com as autoridades de Washington, em cumprimento à lei de Refúgio Seguro, ao deixar o seu bebê de forma segura com o Corpo de Bombeiros, a mãe não enfrentará um processo judicial.

Conforme declarações da imprensa americana, o bebê está a salvo no hospital Providence. As autoridades estão procurando sua mãe, pois poderia precisar de ajuda médica, e solicitaram o apoio da comunidade.