Na Audiência Geral, após o intervalo de julho, Francisco continua o ciclo de catequese sobre a família

Cidade do Vaticano, 05 de Agosto de 2015 (ZENIT.org)

O Papa Francisco retomou as Audiências gerais de quarta-feira, após pausa de um mês. O Santo Padre chegou na Sala Paulo VI, onde são realizadas em agosto por causa do calor europeu, e cumprimentou os fiéis ao redor da sala. Calmamente, ele parou para abençoar as crianças e falar com alguns dos peregrinos provenientes de diversas as partes do mundo; com ternura acariciou os doentes e anciãos sentados nas primeiras filas.

Na catequese desta manhã, Francisco prosseguiu o ciclo sobre a família, centrando-se em uma das feridas que a família enfrenta hoje: divorciados que casam novamente no civil.

Assim, no resumo feito em português, Francisco indicou que “retornando às catequeses sobre a família, hoje refletimos sobre o modo de acompanhar aqueles que não conseguiram manter intacto o vínculo matrimonial e contraíram uma nova união”.

Ele explicou que “por um lado, a Igreja não ignora que esta situação contradiz o sacramento do matrimônio, mas, por outro, o seu coração materno, animado pelo Espírito Santo, leva-a sempre a buscar o bem e a salvação de todas as pessoas”. “Também -continuou o Papa- é preciso ter em conta o crescente número de crianças cujas famílias vivem segundo tais uniões”.

Francisco destacou que “a Igreja, como o Bom Pastor do Evangelho, não exclui ninguém: os casais de segunda união não estão excomungados; eles são membros da Igreja”. E conclui, afirmando que “não existem receitas simples”, mas “é importante que todos se sintam acolhidos e possam viver segundo uma fé convicta e praticada: através da oração, da escuta da Palavra de Deus, da frequência na liturgia, da educação cristã dos filhos e do compromisso pela justiça e a paz”.

Em seguida, aos peregrinos de língua portuguesa “nomeadamente os acólitos e escutas de Portugal, bem como os fiéis brasileiros”, o Papa disse: “sejam bem-vindos! Saúdo-vos como membros desta família que é a Igreja, pedindo-vos que renoveis o vosso compromisso para que as vossas comunidades sejam lugares sempre mais acolhedores, onde se faz experiência da misericórdia e do amor de Deus. Que o Senhor vos abençoe a todos!”.

Após as saudações em várias línguas, o Papa dirigiu algumas palavras aos jovens, aos doentes e aos recém-casados. Ele recordou que hoje a Igreja celebra a Dedicação da Basílica de Santa Maria Maggiore, onde o ícone Salus Populi Romani é venerado. Por isso, Francisco convidou os jovens a invocarem a Mãe de Deus, “para sentir a doçura de seu amor”; motivou os doentes a rezarem a Nossa Senhora “nos momentos de cruz e sofrimento”; os recém-casados foram convidados a olhar par Ela como “o modelo do caminho conjugal de dedicação e fidelidade”.