Texto completo. O Santo Padre presenteia os presentes com um livrinho de orações para viver todo o dia com Deus. Nunca se ouviu falar de um santo triste ou de uma santa com cara de funeral

ROMA, 14 de Dezembro de 2014 (Zenit.org) – O Santo Padre Francisco rezou neste domingo de dezembro a oração do ângelus na janela do seu escritório no Palácio Apostólico, virado para a Praça de São Pedro, onde uma multidão de milhares de peregrinos e fieis o aguardavam.

Neste III domingo de Advento a Praça estava cheia de centenas de crianças dos ‘Centros Oratórios Romanos’ para a benção que nesta data o Papa dá às imagens do Menino Jesus que serão colocadas nas suas casas, escolas ou paróquias.

O Santo Padre também presenteou os fieis e peregrinos ali reunidos com um livrinho de orações, preparado pela Esmolaria apostólica e publicado pela Livraria Editora Vaticana. Durante as suas palavras deteve-se várias vezes para comentar um cartaz que um grupo de fieis tinha: ‘Com Jesus a alegria é de casa’.

“Queridos irmãos e irmãs, queridos filhos e jovens, bom dia.

Durante duas semanas o Tempo do Advento nos convidou à vigilância espiritual para preparar o caminho para o Senhor, o Senhor que vem. Neste terceiro domingo a liturgia nos propõe outra atitude interior para viver a espera do Senhor, ou seja, alegria. A alegria de Jesus, como diz esse cartaz, a alegria de Jesus é de casa. Ou seja que nos propõe a alegria de Jesus.

O coração do homem deseja alegria, todos nós aspiramos a alegria, cada família, cada povo aspira à felicidade. Mas qual é a alegria que o cristão está chamado a viver e testemunhar? É aquela que vem da proximidade com Deus, da sua presença na nossa vida. Uma vez que Jesus entrou na história com seu nascimento em Belém, a humanidade recebeu a semente do Reino de Deus como uma terra que recebe a semente, promessa de colheita futura. Não há necessidade de procurar em outro lugar! Jesus veio para trazer alegria para todos e para sempre.

Não é só uma alegria esperada ou deslocada para o paraíso, ‘aqui na terra estamos tristes, mas no paraíso estaremos alegres’, não, não é isso. Mas, de uma alegria já real e que já é possível sentir agora, porque o mesmo Jesus é nossa alegria, é nossa casa.

Como dizia esse vosso cartaz, ‘Com Jesus a alegria está em casa’, repitamos isso, novamente: ‘Com Jesus a alegria está em casa’, e sem Jesus existe alegria? Não! Jesus está vivo, é o ressuscitado, e obra em nós, especialmente com a palavra e os sacramentos.

Todos nós batizados, filhos da Igreja, estamos chamados a acolher sempre novamente a presença de Deus no nosso meio e ajudar os outros a descobri-la, ou redescobri-la se a tivessem esquecido. É uma missão muito bonita, semelhante a de João o Batista: orientar as pessoas à Cristo – não a nós mesmos – porque Ele é a meta para a qual tende o coração do homem quando busca a alegria e a felicidade.

Mais uma vez São Paulo na liturgia de hoje nos indica as condições para ser “missionários da alegria”: orar sem cessar, sempre dar graças a Deus, seguir o seu Espírito, buscar o bem e evitar o mal. Se este será o nosso estilo de vida, então a Boa Nova poderá entrar em muitas casas e ajudar as pessoas e famílias a descobrir que em Jesus está a salvação. Nele é possível encontrar a paz interior e a força para enfrentar cada dia as diversas situações da vida, até mesmo as mais pesadas e difíceis.

Nunca se ouviu falar de um santo triste ou de uma santa com cara fúnebre, nunca se ouviu, seria uma contradição.

O cristão é uma pessoa que tem o coração cheio de paz, porque sabe colocar a sua alegria no Senhor, até mesmo quando passa por momentos difíceis na vida.

Ter fé não significa não ter momentos difíceis, mas ter a força para enfrentá-los sabendo que não estamos sozinhos. E esta é a Paz que Deus dá a seus filhos.

Com o olhar voltado para o Natal está próximo, a Igreja nos convida a testemunhar que Jesus não é um personagem do passado: Ele é a Palavra de Deus que hoje continua a iluminar o caminho do homem, seus gestos, os sacramentos, são a manifestação da ternura, do consolo e do amor do Pai a cada ser humano. A Virgem Maria ‘causa de nossa alegria’ nos torne sempre alegres no Senhor, que vem libertar-nos de tantas escravidões interiores e exteriores”.

O Papa rezou a oração do Angelus e depois disse as seguintes palavras:

“Queridos irmãos e irmãs, tinha me esquecido a frase. Como era? Vejamos: ‘Com Jesus a alegria é de casa’. Todos juntos: ‘Com Jesus a alegria é de casa’.

Saúdo os presentes, famílias, grupos paroquiais e associações que vieram de Roma, da Itália e de tantos lugares do mundo. Especialmente saúdo os peregrinos de Civitella Casanova, Catania, Gela, Altamura, e os jovens de Frosinone.

Ao cumprimentar os fiéis poloneses, uno-me espiritualmente a seus compatriotas que hoje acendem a ‘vela de Natal’, e reiteram o compromisso de solidariedade, especialmente neste Ano da Cáritas que se celebra na Polônia.

Agora Saúdo com afeto as crianças, que vieram para a benção dos ‘Meninos Jesus’, organizada pelo Centro Oratórios Romanos. Meus parabéns, foram muito bons, cheios de alegria aqui na praça, meus parabéns. E agora levem o nascimento abençoado. Queridas crianças, agradeço-lhes vossa presença, e lhes desejo um feliz Natal. Quando rezem em casa, diante do presépio, peço-lhes que se lembrem também de mim, como eu me lembro de vocês.

A oração é a respiração da alma: é importante encontrar momentos durante o dia para abrir o coração a Deus, também com simples e breves orações do povo cristão. Por isso pensei dar-lhes um presente, a todos os que estão aqui na praça, uma surpresa, um presente. Um pequeno livrinho de bolso que traz algumas orações, para os diversos momentos do dia e para as diversas situações da vida. É isso. Alguns voluntários o distribuirão. Cada um pegue um e levem-no com vocês, como ajuda para viver todo o dia com Deus.

Não esqueçamos essa mensagem tão bonita que trouxeram aqui com o cartaz: ‘Com Jesus a alegria é de casa’. E a todos vocês lhes desejo um cordial ‘bom domingo’ e ‘bom almoço’. E não se esqueçam, por favor, de rezar por mim. Até logo! E muita alegria!

(Traduzido e ampliado por ZENIT com a transcrição de áudio)