TUXTLA GUTIERREZ, 16 Fev. 16 / 12:30 pm (ACI).- Manuel Morais Montoya tem 14 anos e na tarde de segunda-feira deu seu testemunho como jovem que, apesar de estar em cadeira de rodas, não perdeu a esperança e busca evangelizar outros adolescentes como ele que vivem desanimados ou afastados do Senhor.

 

Este é seu testemunho:

Santo Padre Francisco: Amigo dos adolescentes e jovens. Sou Manuel, um adolescente de 14 anos. Quero lhe dizer: Obrigado por ser nosso amigo e estar perto de nós. Obrigado por vir a nossa terra chiapaneca. Obrigado por trazer a mensagem de paz a nossas famílias. Que Deus o abençoe muito, muito.

Santo Padre Francisco, compartilho algo de minha vida pessoal: antes caminhava, corria, jogava como todo menino, mas aos 5 anos comecei a cair, meus pais se deram e os médicos detectaram minha capacidade especial; tenho distrofia muscular.

Fui perdendo força em todo meu corpo até que fiquei em cadeira de rodas e fiquei muito triste ao ver que não podia caminhar, nem correr, nem jogar. Depois, eu falei com meus pais, disse-lhes que não ficassem tristes, que podia fazer coisas maiores, embora não possa fazer o que outros meninos fazem, e comecei a animá-los. Meus papais me apoiam em meus planos me sentindo sem limites como toda pessoa normal.

Tenho muita fé e cresceu minha esperança. Sei que Deus me abençoou com esta capacidade especial. Confio Nele. E, se for sua vontade, me dará minha saúde física. Antes que conhecêssemos Deus em minha família, sempre havia brigas, até que Deus chegou e começamos a ir à Igreja. No princípio, eu não gostava.

Hoje, agradeço ao meu irmão, o qual, sendo coordenador de adolescentes, me motivou muito. Assim iniciei no grupo de adolescentes da paróquia e eu gostei muito.

Agora, saio em minha cadeira de rodas a evangelizar e o faço com muita alegria, convidando muitos adolescentes que não conhecem o amor de Deus. Também com minha família fazemos missão e visitamos doentes.

Santo Padre, reze por nós, os adolescentes do México, já que há muitos jovens desanimados; há alguns adolescentes que estão em maus caminhos e, como ninguém os escuta, caem em más companhias e os levam por maus caminhos.

Há muita violência entre adolescentes. Como adolescente, digo-lhes: se estão desanimados e em maus caminhos, ânimo! Que se incorporem a um grupo. E recordem: somos os consentidos de Deus.

Somos a esperança da Igreja. Reze por nós e siga apresentando-nos a Deus de amor e misericordioso. Papa amigo, os adolescentes do México rezamos pelo senhor e que a ‘Virgencita’ o cubra com seu manto maternal. Viva o Papa Francisco! Viva o Papa Francisco!