O Pontifício Conselho para os Leigos realiza nesta sexta-feira e sábado um seminário internacional sobre “Mulheres e Trabalho”, no qual se analizarão as consequências da atual dicotomia entre as demandas da família e a organização do trabalho

 

Roma, 04 de Dezembro de 2015 (ZENIT.org) Redação – É necessário “afirmar o papel indispensável da mulher na família e na educação dos filhos, bem como o contributo essencial das mulheres trabalhadoras na construção de estruturas econômicas e políticas ricas de humanidade”. Assim garante o papa Francisco em uma mensagem, assinada pelo cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin, enviado ao seminário internacional de estudo promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos, sobre o tema “Mulheres e Trabalho”.

Assim, o Santo Padre convida a localizar “sugestões e modelos positivos concretos para harmonizar compromissos laborais e exigências familiares”, no contexto da dicotomia atual entre a vida da família e a organização do trabalho.

Em um comunicado do dicastério, recorda-se que “hoje é necessário afirmar um duplo reconhecimento do importante papel que a mulher exerce na vida pública, para a edificação de estruturas mais ricas de humanidade, e na vida familiar, para o bem-estar da própria família e a educação dos filhos”.

Também, explicam que o seminário tem como objetivo indagar sobre as causas e consequências da atual dicotomia entre exigências familiares e organização do trabalho. Também se buscará “analisar e considerar caminhos para sair do aut-aut de muitas mulheres hoje, e propor soluções inovadoras para um et-et que permitam conjugar compromisso de trabalho e familiares”. Serão consideradas propostas – informa o comunicado – para uma maior valorização do trabalho feminino, de forma que se superem as discriminações à qual ainda são objeto as trabalhadoras, como a penalização pela maternidade e a desigualdade do salário.

Por outro lado, se refletirá “sobre como destacar o insubstituível serviço que só o gênio feminino sabe oferecer ao gênero humano, para o crescimento de cada pessoa e a construção da sociedade”.

O seminário trará palestrantes ilustres de nove nacionalidades e prevê amplos espaços de discussão para permitir a participação de todos os presentes nos trabalhos.