Com o passar das horas, as adesões para o dia da “Benção da vida longa” aumentavam sempre mais. Com a palavra um das centenas de grupos que daqui poucos dias levarão seu testemunho ao Santo Padre.

 

Entre as tantas delegações de idosos previstas para o encontro com Papa Francisco, está também a Associação Nacional de aposentados e idosos da província de Foggia. Filomena Casoli, secretária da Confederação provincial e organizadora da viagem, nos conta brevemente a história desta delegação.

 

1) Senhora Casoli, no dia 28 de setembro a senhora conduzirá um grupo de 50 pessoas provenientes da província de Foggia: de quais realidades associativas ou paroquiais é composto este grupo? Porque vocês decidiram participar deste evento?

A Associação não está inserida na vida das paróquias, mas a quantidade de sócios significa que em muitos deles a fé em Cristo seja viva e sentida. Em abril deste ano, no âmbito da associação, foram realizadas assembleias municipais e provinciais, nas quais, muitos expressaram o desejo de visitar o Santo Padre. Um desejo tão acolhido que ao final foi aprovado um compromisso de organizar um encontro, talvez para o fim de outubro.

 

2) Quais são as formas peculiares, através das quais a sua associação se compromete em apoiar e promover a velhice?

A Associação tutela os direitos individuais dos idosos e dos aposentados, em um quadro de solidariedade entre as gerações, desenvolvendo políticas e ações a nível nacional e local para a defesa do estado social e para a representação dos interesses dos idosos diante do Governo central, das instituições públicas, das regiões e das autoridades locais. Está presente no território nacional desde de 1972 e dela fazem parte mais de 465.000 aposentados de todas as categorias.

Uma atividade em particular, entre as tantas que realizamos, são as ações de pesquisa e de monitoramento que têm como objetivo o desenvolvimento e promoção de ações de intervenção em matéria sócio assistencial: a mais importante porém é seguramente a análise dos serviços sociais oferecidos pelas autoridades locais.

 

3) A senhora é avó? Poderia nos contar sobre as iniciativas que vocês estão realizando para que os idosos voltem a ser “sal” na nossa sociedade?

Apesar de ser avó a poucos meses não sou idosa e, em qualidade de secretária, acompanho a associação há mais de três anos em nome da confederação provincial.

O que a Associação está desenvolvendo de maneira especial, além da defesa dos direitos dos idosos necessitados de assistência, é o papel ativo dos idosos na sociedade, com o lema “ A idade como valor”. E é por isso que estamos ativando serviços aos idosos gerenciados diretamente por idosos.

 

4) O que significa para o seu grupo de idosos e avós este dia de especial contato com o Santo Padre? Quais os frutos que poderão nascer ou amadurecer?

Estar em contato com o Santo Padre, Papa Francisco, será um momento de crescimento espiritual e de encorajamento para os participantes, para que não se rendam diante das dificuldades da vida, que nem sempre são relacionadas exclusivamente com a velhice.