29 JULHO 2016 – Em entrevista à Rádio Vaticano a presidente da União das Comunidades Judaicas Italianas (UCEI), Noemi Di Segni, comentou a visita do Pontífice aos  Campos de Concentração de Auschwitz e Birkenau.

 

“Para quem representa o povo judaico, o povo massacrado no Campo de Auschwitz-Birkenau, ter uma atenção, um respeito assim importante por parte do Papa, que com o seu silêncio consegue comunicar a nossa tragédia e fazer com que se torne patrimônio de memória que deve ser de todos, é a mensagem mais importante destas imagens”, comentou Di Segni.

Sobre as palavras que o Papa escreveu no Livro de Honra de Auschwitz – “Senhor, tem piedade de Teu Povo; Senhor, perdoa tanta crueldade”- Di Segni afirmou que “Este gesto do Papa é ainda maior se pensarmos, paradoxalmente, no mesmo silêncio nos anos terríveis do Holocausto, em que ocorreu o massacre”, e continuou “Acredito que também hoje cada um de nós, seguindo talvez o exemplo do Papa, deva interrogar-se de que modo os próprios gestos e os próprios silêncios ajudam ou não ajudam a melhorar o mundo, a resolver também pequenas situações cotidianas, isto para não falar apenas das grandes tragédias….”.