2015-08-23 Rádio Vaticana – Paris (RV) – Existem no mundo 65 muros de fronteira erguidos ou em vias de construção, em comparação com os 16 que existiam quando o de Berlim caiu, em 1989.

 

 A lista dos mais recentes e mais importantes:

– Hungria: O muro de fronteira mais recente é obra do governo húngaro, que iniciou a construção de uma barreira de 177 km ao longo de sua fronteira com a Sérvia depois de receber 80 mil pedidos de asilo desde o início do ano.

– Saara Ocidental: um muro de areia de 2.700 quilômetros separa desde os anos 1980 o território do reino do Marrocos das regiões controladas pelos independentes da Frente Polisário.

– Arábia Saudita – Iraque: Os sauditas, diante da ameaça do grupo Estado Islâmico, completam um muro de areia já existente de sete metros de altura com uma barreira de 900 km, 78 pontos de observação, 8 centros de controle, 32 centros de reação rápida.

– Israel: a construção da barreira que separa Israel dos territórios ocupados começou em 2002, com o objetivo de impedir os ataques palestinos. Seus opositores consideram que serve para confiscar terras e estabelecer uma fronteira de fato, violando a legislação internacional.

– Estados Unidos – México: O Presidente Bill Clinton iniciou o reforço da fronteira nos anos 90. O temor das infiltrações de membros da Al-Qaeda e agora do Estado Islâmico levou à construção de uma das maiores e mais sólidas barreiras, enquanto a imigração ocupa um lugar primordial na próxima eleição presidencial.

– Grécia – Turquia: A melhora das relações entre os dois países e a retirada das minas colocadas na fronteira levou a Grécia a se converter em um dos pontos de entrada importantes da migração que deseja chegar à União Europeia. Em 2012, o muro Evros foi edificado na fronteira entre os dois países.

– Irlanda do Norte: Em Belfast há 99 “linhas de paz” que separam as comunidades católicas e as protestantes. A mais antiga remonta a 1969. Mas apesar da assinatura dos acordos de paz, tanto o número quanto o tamanho aumentaram.

– Espanha – Marrocos: os enclaves espanhóis de Ceuta e Melilla na costa marroquina estão rodeados por cercas difíceis de cruzar. Muitos candidatos à migração morreram ao tentar saltá-las e outros faleceram pelas mãos das forças marroquinas.

– Índia – Bangladesh: desde 1993, a Índia se separa de Bangladesh com uma cerca para reduzir a tentação da imigração. Isso levou a conflitos sobre o traçado exato da fronteira e ao abandono de 100 mil pessoas em terras de ninguém, isoladas de todos os serviços públicos.

– Chipre: Um muro segue dividindo em dois a capital Nicósia, entre as duas metades grega e turca desde a invasão turca de 1974. (SP-AFP)

(from Vatican Radio)