Madhya Pradesh (RV) – Na noite da última terça-feira, 12, fundamentalistas hindus atacaram três igrejas em Indore, a maior cidade de Madhya Pradesh. Os extremistas lançaram pedras, destruíram cruzes, perpetraram atos de vandalismo de todos os gêneros e tentaram atear fogo a um dos lugares de culto, mas a polícia interveio antes que pudessem queimar o templo. Falando à agência AsiaNews, Sajan George, Presidente do Global Council of Indian Chistians (Gcic), condena “com firmeza” os ataques.

 

O gesto contra a inauguração de um orfanato administrado por missionários

As agressões ocorreram poucas horas antes que Sonia Gandhi, Presidente do Congress (primeiro partido da oposição), inaugurasse um orfanato administrado por missionários. O principal suspeito por esses episódios é o Sanskritik Jagran Manch, organizador local da direita hindu, que tinha ameaçado com “ação direta” se Gandhi  “realmente” inaugurasse a estrutura. O orfanato está localizado em um lugar que antes era de propriedade de uma organização privada. O edifício passou à administração do distrito que depois o confiou aos missionários. Padre Ramesh Chandekar, sacerdote anglicano da igreja de São Paulo, refere que os agressores danificaram o crucifixo e destruíram objetos sagrados e o microfone. 

Ataques a outras duas igrejas protestantes

Os grupos tentaram em seguida atear fogo a uma segunda igreja protestante, lançando tecidos com fogo para dentro da estrutura. Imediatamente alertada, a polícia agiu para apagar o fogo antes que se propagasse. Na terceira igreja, também essa protestante, os extremistas quebraram painéis de vidro e janelas com pedras. 

Ataques à liberdade religiosa no Madhya Pradesh

Segundo Sajan George, os ataques contra as igrejas “refletem a espiral descendente na qual está precipitando a liberdade religiosa da pequena comunidade cristã no Madhya Pradesh, guiada pelos nacionalistas hindus de Bharatiya Janata Party”. Recordando o Relatório 2015 sobre a liberdade religiosa na Índia, apresentado no último dia 1º de maio pela Comissão estadunidense para a liberdade religiosa no mundo, o presidente do Gcic afirma: “Os líderes do Bharatiya Janata Party devem controlar seus setores mais extremistas e agir com rapidez para detê-los, usando o Código Penal indiano como fundamento e chamando a atenção de outros grupos radicais, que sem nenhuma provocação agridem a minoria cristã”. (SP)

(from Vatican Radio)