Vila Franca do Campo, Açores, 18 mai 2015 (Ecclesia) – As paróquias de Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, promoveu umas jornadas das famílias que terminaram com o apelo a que estas sejam “realmente evangelizadoras”.

 

“A família cristã é a primeira comunidade chamada a anunciar o Evangelho à pessoa humana em crescimento e a levá-la, através de uma catequese e educação progressiva, à plenitude da maturidade humana e cristã”, disse o conferencista que encerrou o encontro, membro da equipa diocesana da Pastoral Familiar.

Manuel Francisco Sousa, que refletiu sobre ‘A Família do coração de Deus’ com a esposa, explicou que a família cristã é uma “peça do puzzle do plano de Deus”, na qual o conhecimento e descoberta da identidade “implica” uma missão realizada em quatro linhas de ação, identificadas pela ‘Familiaris Consortio’, exortação apostólica do Papa São João Paulo II, de 22 de novembro de 1981.

“A formação da comunidade de pessoas; o serviço da vida; a participação no desenvolvimento da sociedade, a participação na vida e na missão da Igreja”, enumerou o responsável.

Para esta ação é necessário a “leitura permanente do Evangelho”, a oração em família e a frequência aos sacramentos, “nomeadamente os sacramentos da Penitência e da Eucaristia”, acrescentou.

Neste contexto, o elemento da equipa diocesana da pastoral familiar alertou que a fé, “como o corpo”, tem de “ser alimentada”.

Manuel Francisco Sousa e a esposa apresentaram também dez desafios, onde se destacam, por exemplo – “a presença de Deus na Família pelo amor; fé; compromisso; oração; alegria; harmonia; união; respeito” – a partir de um “conjunto de reflexões” do Papa Francisco que resultaram de encontros com famílias no âmbito do Ano da Fé, em outubro de 2013.

O sítio online da Diocese de Angra informa que durante dois dias agentes pastorais de Vila Franca do Campo, movimentos e população em geral participaram nas “primeiras” minijornadas da família.

Agência Ecclesia