D. Manuel Linda adverte para consequências de vazio cultural no Ocidente

 

Lisboa, 26 dez 2015 (Ecclesia) – O bispo das Forças Armadas e de Segurança lamentou as tentativas de “silenciar” o Natal, na sua mensagem para esta quadra, enviada à Agência ECCLESIA, advertindo para as consequências deste vazio cultural no Ocidente.

“Por essa Europa fora e um pouco já entre nós, assistimos a um fenómeno verdadeiramente impressionante: a tentativa de silenciar o Natal, de o banir da nossa cultura, de o descolorir da sua verdadeira dimensão religiosa”, adverte D. Manuel Linda.

O responsável pelo Ordinariato Castrense em Portugal constata que “na publicidade, nas iluminações de rua, no «politicamente correto» de se omitir o dado religioso, tudo entra, menos Jesus Cristo”.

“Está a fazer-se de Cristo o grande ausente, o expulso, o migrante, o verdadeiro «refugiado político» que tem de deixar o lugar onde sempre viveu porque já não há lugar para Ele. Ou corre perigo”, assinala.

O bispo sustenta que alguns dirigentes sociais estão a “criar um verdadeiro vazio cultural no Ocidente”, algo que pode ser “perigoso”.

“Também na cultura, se negarmos a dimensão religiosa cristã, outras perspetivas virão preencher esse vazio. Mas então, deixaremos de ouvir falar de paz, de amor, de fraternidade, de liberdade, etc., para passarmos a escutar apelos à guerra, à desestabilização social, à imposição de doutrina, ao terrorismo, á barbárie, precisamente em nome de uma qualquer divindade que nos é estranha”, observa.

D. Manuel Linda entende que a civilização ocidental tem de escolher: “ou respeito pela cultura humanista de base cristã ou imposição de uma outra, pouco amiga da pessoa e da sua dignidade”.

Agência Ecclesia