Desde a iniciação cristã à catequese, passando pela pastoral juvenil e universitária

 

Braga, 18 jan 2016 (Ecclesia) – O bispo auxiliar de Braga diz que o setor da família tem de estar mais presente nas várias áreas pastorais da Igreja Católica, desde a iniciação cristã à catequese, passando pela pastoral juvenil e universitária.

Na missa de encerramento da 27.ª jornada nacional de Pastoral da Família, este domingo em Fátima, D. Francisco Senra Coelho apontou que só com um projeto de base, a começar pelas crianças e jovens, será possível construir famílias que sejam “escolas e viveiros de famílias novas e de vocações para o serviço da comunidade”.

De acordo com o site da Arquidiocese de Braga, o responsável católico lembrou o contributo que as famílias podem dar na evangelização, sendo que para isso é fundamental que elas estejam mais presentes “nas várias dinâmicas” pastorais que marcam o ritmo “das dioceses, paróquias e movimentos laicais”.

D. Francisco Senra Coelho desafiou ainda as famílias a um testemunho mais efetivo, de modo a “que o mundo encontre” nelas os traços de um “amor sólido de que tanto carece” mas “em que parece ter desacreditado”.

Subordinada ao tema “Vocação e Missão na Família”, a jornada nacional da Pastoral Familiar contou este ano com 187 pessoas inscritas, em representação de 15 dioceses e de oito movimentos eclesiais que trabalham neste setor.

D. Antonino Dias, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, teve ocasião de partilhar a experiência que viveu no último Sínodo dos Bispos sobre a Família, em Roma, onde esteve como padre sinodal e representante da Igreja Católica em Portugal.

O bispo de Portalegre-Castelo Branco participou nos trabalhos através da apresentação de duas conferências: “A Igreja à escuta da Família” e “A Família no desígnio de Deus”.

Agência Ecclesia