Afirmação decorreu na eucaristia de encerramento das XXVII Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar, presidida pelo Bispo Auxiliar de Braga.

 

Terminaram hoje as XXVII Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar no Seminário do Verbo Divino, em Fátima, subordinadas ao tema “Vocação e Missão da Família”.

O encontro, que se realizou nos dias 16 e 17 de Janeiro, contou com a participação de 187 elementos, representantes de 15 dioceses (incluindo Açores e Madeira) e de 8 movimentos eclesiais vocacionados para a pastoral familiar. D. Antonino Dias, Presidente da Comissão Episcopal Laicado e Família (CELF) e padre sinodal, apresentou o seu olhar sobre o sínodo em duas comunicações intituladas “A igreja à escuta da família” e “A família no desígnio de Deus”.

O Encontro Mundial das Famílias, realizado em Filadélfia, preencheu o serão do dia 16 com o testemunho de um casal participante e com a partilha de vários momentos vividos durante a iniciativa.  “A Missão da família – Desafios Pastorais”, painel conduzido pelo padre Rui Pedro Carvalho e por dois casais da Pastoral Familiar do Patriarcado de Lisboa, foi outro momento alto das Jornadas.

A iniciativa terminou com uma concelebração eucarística presidida D. Francisco Senra Coelho, Bispo Auxiliar de Braga e membro da CELF.

Comentando as leituras do II Domingo Comum, o prelado lembrou que “o sinal realizado por Jesus nas Bodas de Canã aponta para o grande sinal que será a paixão, morte e ressurreição de Jesus. A Páscoa, vitória definitiva da vida sobre a morte, é a plenitude do vinho novo, que, se em Canã é dádiva ainda só em seis talhas de pedra, na Páscoa será a plenitude da nova criação, que demovendo a pedra da morte se transformará em sétima talha de vida em plenitude.”

Para o Bispo Auxiliar de Braga, “a primeira pastoral familiar acontece nas famílias”. “Quando estas se identificam com a «Hora De Jesus» através de critérios pascais, repletos de acolhimento, perdão e misericórdia, são escolas e viveiros de famílias novas e de vocações para o serviço da comunidade.”

O prelado referiu-se à missão das famílias na evangelização familiar e recordou a urgência da valorização da pastoral familiar nas diversas dinâmicas transversais das dioceses, paróquias e movimentos laicais. D. Francisco sublinhou também a importância da valorização das temáticas da família nos programas de catequese, pastoral juvenil e universitária, e iniciação cristã.

D. Francisco concluiu a homilia apelando “à experimentação do Amor fiel de Cristo à Humanidade e à Sua Igreja, para que o mundo encontre nas famílias cristãs testemunhos de «amor sólido» de que tanto carece e em que parece ter desacreditado”.

A Arquidiocese de Braga fez-se representar nas XXVII Jornadas Nacionais da Pastoral Familiar através de 57 participantes, sendo o arciprestado de Esposende o mais representado e a paróquia da Apúlia a mais numerosa em termos de presenças a nível nacional. 

– See more at: http://www.diocese-braga.pt/noticia/1/7430#sthash.Ohs6hTUE.iKCv3To8.dpuf