PARIS, 12 Abr. 16 / 06:00 pm (ACI).- A fiscalização belga informou que os terroristas que cometeram o atentado em Bruxelas (Bélgica) também tinham como objetivo a Eurocopa que será realizada na França entre junho e julho deste ano, além de uma instituição católica nesse país.

 

As autoridades belgas conseguiram esta informação depois da confissão de um jihadista vinculado aos atentados de Bruxelas no último 22 de março, no qual morreram 30 pessoas e mais de 200 ficaram feridas.

Mohamed Abrini, que também tem relação com os atentados de Paris em novembro do ano passado, foi quem divulgou estes dados durante seu interrogatório.

Segundo informações do jornal francês ‘Libération’, a polícia belga encontrou um computador em uma lixeira perto da casa da qual saíram os terroristas em 22 de março, antes dos atentados na capital belga.

Nesta casa foram encontrados áudios e informações que revelavam os outros alvos dos jihadistas: a associação católica Civitas e o bairro parisiense de ‘La Défense’.

Uma fonte antiterrorista indicou ao jornal francês que os jihadistas “planejam abertamente as operações, perguntam-se em quais deveriam dar o golpe e se todo o comando deve morrer ou se alguns devem permanecer”.

“Esta é uma prova de que esta célula continua tendo vínculos com a Síria, de onde recebe conselhos e orientações do ‘califado’”, acrescenta o jornal em relação aos seus elos com os terroristas muçulmanos.

Depois dos atentados da Bélgica e da detenção de Abrini no último dia 8 de abril, as autoridades belgas e francesas continuam estudando as características do grupo terrorista e prosseguem sua investigação com a informação obtida por meio dos interrogatórios, assinala a Europa Press.

Por outro lado, uma fonte da polícia francesa indicou que a eleição dos objetivos não surpreende e se confirmaria deste modo que a Bélgica é uma base de operações para os ataques islâmicos.