2016-08-18 Rádio Vaticana – Cidade do Vaticano (RV) – A editora Bloomsbury anunciou para setembro a publicação do novo livro do Papa emérito Bento XVI. “Last Testament: In His Own Word” (Último Testamento: em suas próprias palavras) será o título da versão em inglês.

 

Autobiografia

O livro está mais próximo de uma autobiografia. Morador do Mosteiro Mater Ecclesiae, nos Jardins Vaticanos, Joseph Ratzinger quebra o silêncio sobre questões como o caso “Vatileaks”, sua suposta educação “Nazi”, as tentativas de limpar a “sujeira na Igreja” com os casos de pedofilia, entre outros temas.

Não faltam menções calorosas ao Papa Francisco, reconhecendo nele um “toque popular”, uma qualidade que lhe faltava.

Juventude

O Papa Bento começa a obra recordando da sua infância na Alemanha de Hitler – quando juntou-se à Juventude hitleriana sob coação – para então passar à sua ordenação sacerdotal, e mais tarde, à nomeação como Arcebispo de Munique.

Pontífice

Já como Pontífice, fala das controvérsias que abalaram o mundo católico – e como ele enfureceu os muçulmanos com seu discurso em Regensburg – e o que foi feito para acabar com o abuso sexual de crianças por parte de membros do clero, o escândalo Vatileaks, e muito mais.

Colaboração com jornalista alemão

Como aconteceu com alguns de seus livros precedentes, a nova obra é uma colaboração com o jornalista alemão Peter Seewald, que apresenta os pensamentos do Papa na forma de uma entrevista.

Em junho, o Vatican Insider informou sobre a publicação do livro, que em sua versão italiana terá por título “Ultime conversazione” (Conversas finais). Também a Editora italiana Garzanti espera lançar a obra no próximo mês. 

Francisco

Uma parte do livro que certamente despertará grande interesse dos leitores é a narrativa de como o Papa Ratzinger preparou sua renúncia, além da verdadeira “surpresa” que teve com a escolha do nome de seu sucessor: Francisco.

Bento XVI também fala da alegria que sente sobre a maneira como o novo Pontífice reza e se comunica com a multidão; a descrição de Francisco “o homem” e Francisco “o Papa”, comentando ao mesmo tempo, o que ambos têm em comum e aquilo que os diferencia.

 

(JE/Aleteia)

(from Vatican Radio)