Os “Cursos de Cristandade vivem uma hora de grande actualidade”. A afirmação é do Bispo Auxiliar de Braga, D. Francisco Senra Coelho, que é diretor espiritual do Organismo Mundial de Cursilhos de Cristandade (OMCC) e que, no final de abril, esteve com o Papa Francisco, em Roma.

 

O prelado acompanhou os cerca de 7000 cursistas de toda a Europa (Ultreia Europeia) que foram recebidos pelo Papa Francisco na audiência pública que antecedeu o dia 1 de maio.

“Como Itália celebra, no presente ano de 2015, 50 anos da chegada dos Cursilhos de Cristandade resolveu fazer-se um encontro de todos os membros dos Cursos de Cristandade em Roma, pedindo uma audiência ao Papa”, disse em entrevista ao site da Arquidiocese de Braga.

Ora, desse mesmo encontro com o Papa, os cursilhistas trouxeram “o apelo à renovação do empenho evangelizador do Movimento dos Cursos de Cristandade que vivem uma hora de grande actualidade”, salienta o prelado.

D. Francisco Senra Coelho indica que “quem faz um Curso de Cristandade inicia uma caminhada para toda a vida” e que este é “um Movimento muito aberto ao primeiro encontro com Cristo e é muito actual para os tempos atuais, em que as pessoas permanecem na busca de um sentimento para a vida”.

Há alões muito tradicionais dos Cursos de Cristandade como o trabalho com presidiários e visitas às cadeias.

“Os Cursos de Cristandade começaram sempre numa perspectiva de encontro com as pessoas sofridas. Aquilo que o Papa chama de periferia existencial e social. O cursilhista é convidado a fazer um trajeto de humanização desenvolvido em cada Ultreia e pode ter uma periodicidade semanal ou quinzenal. A Ultreia Europeia significa este encontro para todos os países da Europa”, explicou o prelado.

Os Cursos de Cristandade estão presentes em 90 países e agrupados em quatro organismos internacionais: um para a Europa, outro para a América do Norte (Estados Unidos, Canadá e Caraíbas), outro para a América Latina e um último para a Ásia e Pacífico. Em África, encontra-se ainda em fundação.

Como director espiritual do organismo mundial, D. Francisco tem a função de conduzir o movimento ao mundo, “na coordenação dos quatro organismos internacionais que, por sua vez, coordenam e orientam de modo disciplinar e espiritual os secretariados em cada país”.

Para 2017, o movimento tem prevista uma “Ultreia Mundial”, em Fátima, a 6 de maio.

Notícias de Beja, 14 maio 2015