Dubai (RV*) – Amigas e amigos, com alegria eu lhes envio uma saudação de paz das Arábias.

 

 É sempre enriquecedor estudar o intrincado mundo das religiões. A história de cada povo do planeta desenvolveu-se, tendo como pano de fundo a relação entre o natural e sobrenatural, entre os seres humanos e as divindades. Dessa relação surgiram as religiões. A palavra religião é de origem latina, “religio,” “respeito pelo sagrado” ou da palavra “religare”, atar, amarrar.  Ambas as palavras expressam a relação com um poder sobrenatural, não importa que nome lhe atribuamos.

Quase todas as religiões se baseiam sobre livros sagrados que são como a espinha dorsal que mantem todo o corpo de pé.

Muito se tem falado sobre as semelhanças e diferenças entre livros fundamentais das religiões, mas ultimamente, com destaque para a Bíblia dos cristãos e o Alcorão dos muçulmanos.

Ambos Bíblia e Alcorão são escrituras reveladas. Em certos aspectos guardam semelhança e constância, como adorar um único Deus e submeter-se à sua vontade.

As duas escrituras representam a cristalização da palavra de Deus transmitida aos seres humanos através de profetas, em épocas diferentes.

O Deus trino Pai, Filho e Espirito Santo não encontra eco no Alcorão. Para os muçulmanos seria uma diminuição de Deus atribuir a ele a paternidade. O Espírito Santo não é a expressão de amor entre Deus e o Filho, mas uma emanação divina que não faz parte de sua natureza. No Islã a Doutrina da Trindade não é bem vinda.

A principal diferença entre cristãos e muçulmanos está na figura de Cristo.  Enquanto para nós ele é Filho de Deus, no Alcorão, Jesus é considerado um grande profeta, predecessor de Maomé. Em nenhum caso é reconhecido como Filho de Deus.

Quanto às escrituras, para o Islã, o Alcorão é a palavra revelada de Deus, ditada a Maomé para que a escrevesse integralmente, enquanto para o cristianismo, Deus inspirou os autores sagrados para que, a seu modo e de acordo com a época, escrevessem as mensagens de Deus.

Contudo, núcleo de tudo para o cristão, é que a Palavra de Deus é uma pessoa, Verbo encarnado em Jesus, Palavra de Deus feita Homem, e não um livro.

“Nos tempos antigos, muitas vezes e de muitos modos Deus falou aos antepassados por meio dos profetas. No período final em que estamos, falou a nós por meio do Filho.” (Hebreus 1,1-2).

*Missionário Pe. Olmes Milani CS, das Arábias para a Rádio Vaticano

(from Vatican Radio)