ROMA, 04 Ago. 16 / 03:00 pm (ACI).- Em um encontro vocacional do Caminho Neocatecumenal que reuniu aproximadamente 200.000 jovens em Cracóvia (Polônia), 3.100 homens, 4.000 mulheres e 2.000 famílias se mostraram dispostos a entrar em um seminário, na vida religiosa ou sair em missão para qualquer lugar do mundo.

 

O encontro foi realizado por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Cracóvia, ocorrida na semana passada na cidade polonesa e que contou com a participação do Papa Francisco.

O evento do Caminho aconteceu em uma área do Campus Misericordiae, o mesmo local no qual foi celebrada a Vigília e a Missa de encerramento da JMJ.

Participaram deste encontro 8 cardeais e 33 bispos de diversos países, entre eles o Arcebispo de Cracóvia, Cardeal Stanislaw Dziwisz (Polônia), que presidiu o encontro; o Arcebispo de Boston (Estados Unidos), Cardeal Sean O’Malley; o Arcebispo Emérito de Madri (Espanha), Cardeal Antonio Maria Rouco Varela; entre outros. Também estiveram presentes várias autoridades civis da Polônia.

O encontro foi guiado pelo iniciador do Caminho Neocatecumenal, Kiko Argüello, e o Pe. Mario Pezzi, responsáveis a nível mundial desta iniciação cristã de adultos. “Um grande aplauso ao Papa Francisco, que vocês não podem imaginar como gosta do Caminho”, disse Argüello no início do evento, ao recordar que o Pontífice os recebeu em audiência há apenas algumas semanas.

 

No encontro foi constantemente recordada Carmen Hernández, co-iniciadora do Caminho, que faleceu no dia 19 de julho, na Espanha. Argüello explicou brevemente como ambos iniciaram juntos o Caminho entre os pobres de Madri nos anos 60 e recordou algumas de suas contribuições mais destacadas, entre elas, o redescobrimento da “noite Pascal”, ou seja, a celebração da Páscoa durante a noite toda.

Depois, foi proclamado um Evangelho e Argüello pregou o querigma, a Boa Nova de Cristo morto e ressuscitado. “O cristianismo não conquista com a espada nem com a guerra, mas com o testemunho pessoal. O máximo que podemos dizer é: ‘Eu te conto acerca da minha vida’”, indicou.

Por sua parte, o Pe. Mario Pezzi recordou as palavras do Papa Francisco aos jovens durante a JMJ e explicou que graças ao Concílio Vaticano II nasceu o Caminho Neocatecumenal, um caminho gradual, progressivo que leva à fé.

O presbítero pediu aos jovens para não menosprezar “o dom que Deus lhes deu, fazendo-nos nascer em uma família cristã e no Caminho Neocatecumenal”. “Durante estes dias, escutaram o Papa Francisco dizer que quem cumpre todos os desejos do nosso coração é Jesus Cristo, que o mais importante é encontrar-se com Jesus Cristo, mas há um problema, como nos encontramos com Ele?”.

“Diante da situação da sociedade insegura e cada vez mais aterrorizada pelos acontecimentos que conheceis, Deus suscitou o Concílio Vaticano II, onde há 3 constituições dogmáticas que são o fundamento sobre os quais crescem a Igreja e a vida cristã: a liturgia participada, a celebração da Palavra de Deus e a Igreja como corpo de Cristo”.

O sacerdote também afirmou que “a Igreja rejuvenesce sempre em cada época e um exemplo disso são as realidades eclesiásticas nascidas pouco antes e depois do Concílio” e convidou aos jovens a não terem medo de dizer “sim” ao chamado de Deus.