O cardeal filipino, que está no País dos Cedros até amanhã, visitou um campo de refugiados no Vale de Bekaa, onde os refugiados que fogem da Síria são assistidos pela Caritas Líbano

 

1 março 2016 – “Viva a Caritas, viva a Caritas, viva a Igreja!”. Com esses gritos de alegria, os refugiados sírios e iraquianos no Líbano deram as boas-vindas ao cardeal Luis Antonio Tagle, presidente da Caritas Internationalis, em visita oficial ao País dos Cedros. O cardeal filipino chegou ontem e visitou um campo de refugiados no Vale de Bekaa, onde os prófugos da guerra na Síria são assistidos pela Caritas Líbano.

Por telefone, ele disse à Rádio Vaticano: “É muito claro que o sofrimento dos refugiados tem uma raiz não só econômico, mas política. Para mim, a resposta urgente por parte da comunidade internacional é buscar as formas de resolver os conflitos políticos. É necessário um esforço, uma campanha urgente pela paz para resolver o sofrimento dos povos, dos refugiados”.

Contando a sua experiência entre os trabalhadores migrantes e suas famílias, Tagle disse que “as famílias dos trabalhadores e refugiados apreciam muito a Igreja, a Caritas e a inspiração dada pelo papa Francisco. Eu também – acrescentou – quero expressar a gratidão da Igreja por todos os voluntários, não só da Caritas Líbano, mas também das Caritas das diversas nações que hoje dão testemunho da caridade e esperança para os pobres”.

“Eu conheci uma família vinda da Síria, uma família muçulmana”, continuou o cardeal. “O pai de família gritava: ‘Viva a Caritas, viva a Caritas, viva a Igreja’. Aquilo me tocou no fundo do coração, muito, muito, não por orgulho, mas pela validade do testemunho do amor pelos outros”.

A visita do presidente da Caritas Internationalis, que, no ano passado, já tinha ido a Idomeni, na Grécia, para se encontrar com os refugiados, termina nesta quarta-feira, 2 de março.