2015-09-30 Rádio Vaticana – Acra (RV) – “A família na África está ameaçada pela pobreza, guerra, crise ecológica e pela difusão de ideologias contrárias aos valores da família.” 

 

  É o que afirma o Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagáscar (SECAM) na contri-buição, elaborada pelo organismo, para a Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre a Família que se realizará, no Vaticano, de 4 a 25 de outubro.

Desigualdade econômica

“Conhecemos vários casos de famílias feridas, separadas, despedaçadas e de divorciados. Este fenômeno piora com os problemas econômicos e políticos ligados tanto às nossas responsabilidades quanto aos efeitos nefastos de um sistema econômico mundial de enriquecimento de uns e empobrecimento de outros”, afirmam os bispos africanos no documento intitulado “O futuro da família, nossa missão”. 

“Pior ainda a situação das famílias mais numerosas que são abandonadas e vivem na precariedade econômica e humana. Existe ainda na África uma desigualdade econômica muito grave: a maioria de pessoas e famílias vive na pobreza extrema enquanto uma minoria aproveita das riquezas e bens que devem servir para o bem-estar de todos. Esta desigualdade é reforçada por aquela existente nos países ricos e desenvolvidos”, frisam os prelados.

Desenvolvimento urbano

Segundo o SECAM, “o desenvolvimento urbano forte e caótico registrado na África nas últimas décadas causa problemas ecológicos que têm um impacto sobre a vida das famílias”. “Infelizmente, a terra é agredida todos os dias pela falta de manutenção, sobretudo pela promiscuidade das populações que se instalaram sem respeito das normas de higiene urbana, e pela existência de povoados e cidades onde as famílias vivem em bairros insalubres, sem água potável e corrente elétrica.”

Desafio ecológico

Na África, o desafio ecológico diz respeito também à exploração indevida da terra que leva à sua destruição. “Encontramos homens e mulheres de negócios, Governos e grupos econômicos que, com o pretexto de reduzir a pobreza e trabalhar para o desenvolvimento das populações mais pobres, criam programas de exploração, defraudam os agricultores, destroem florestas, poluem o ambiente e provocam a desertificação”, denunciam ainda os bispos africanos. 

“As guerras provocam somente uma verdadeira destruição e também uma catástrofe ecológica. A África está realmente ameaçada no plano ecológico”, dizem ainda os prelados.

Família, berço da vida

Diante desses e outros desafios, os bispos africanos concluem o documento reiterando que “a família é o berço da vida. A vida é dom de Deus e esperança num futuro melhor. A nossa convicção e nossa fé nos leva a dizer que a família não pode ser submersa pela crise e pelas situações difíceis que ela vive. No anúncio do Evangelho da vida, somos chamados a ser testemunhas dessa esperança”, conclui o SECAM.(MJ)

 (from Vatican Radio)