Do México vem uma experiência que quer valorizar a sabedoria dos idosos para o seu bem-estar e dos núcleos familiares.

A ideia de criar um grupo de “Avós para a família” nasceu num domingo, no final de 2007, quando José Aste, participando da missa na sua paróquia a Cuernavaca, no México, percebeu o grande número de “cabeças brancas” que enchiam a igreja de Nossa Senhora Mãe da Misericórdia. Imediatamente começou a pensar o quanto cada um daqueles idosos seria rico de experiência, sobretudo no âmbito familiar. Falado destas suas reflexões ao pároco, pediu a ele a permissão para organizar um grupo com os avós da paróquia, o sacerdote aceitou com muita abertura a ideia, convidando José a apresentar o quanto antes um projeto para a ser aprovado pelo Conselho paroquial, que o aprovou com entusiasmo.

Para formar o grupo de avós o conceito-principal que José utilizou, sendo também ele um avô, baseou-se na constatação que a experiência dos avós poderia servir como acompanhamento e bússola às famílias atuais. “Os avós – disse José – foram testemunhas privilegiadas de mudanças, muitas vezes radicais, acontecidas nas famílias nas últimas décadas, vivendo o antes como também o depois, com todas a vantagens e desvantagens conexas a esta mudança”.

Tendo como base a experiência familiar de cada um dos participantes, colocada a disposição de todos os avós presentes, o grupo busca quatro objetivos: o primeiro é produzir soluções práticas para a proteção e o bem-estar da família. Em segundo lugar o grupo procura difundir estas soluções, para que sejam úteis às famílias de hoje. Terceiro ponto é a preparação religiosa fornecida pelos avós, que dá a eles instrumentos para encontrar Deus e contemporaneamente a solução aos problemas ligados a velhice. Última fim do projeto, o mais geral, é aquele de dar a possibilidade aos avós de estar bem consigo mesmos sendo sempre mais úteis ao próximo.

E imprescindivelmente para chegar a estes objetivos se faz necessária uma formação tecnologica oferecida aos avós, capaz de diminuir a distância informática – e então comunicativa – entre estes e os seus netos.