Roma, 20 Out. 15 / 01:30 pm (ACI).- “A minha fé é fruto do raciocínio”, afirmou o tenor italiano Andrea Bocelli, durante um programa da televisão italiana, no qual narrou passagens de seus encontros com o Papa Francisco e o trabalho que realiza com sua fundação para ajudar os mais necessitados.

 

No último dia 13 de outubro, o programa “Bel tempo si spera” da Tv2000, divulgou uma entrevista com Bocelli, através da qual o reconhecido cantor recordou que nasceu em uma família muito unida e que sua fé “é fruto do raciocínio”.

“Pego emprestada uma frase que foi usada em outro contexto e por outras razões: a fé é ‘fundamento sólido da necessidade objetiva histórica’. Não podemos pensar que somos filhos da casualidade. É uma bobagem absurda”, expressou.

Bocelli disse que acreditar “ser filho do azar” seria como pensar que “esta casa surgiu do nada”, pois assim como existe alguém que a construiu, “do mesmo modo e com maior razão” acontece com o universo, “que é algo extremamente complexo que supera nossa imaginação. Não podemos ser filhos da casualidade. Portanto minha fé nasceu assim”, afirmou.

O tenor, que se define um católico fervoroso e defensor da vida, indicou que a fé é “naturalmente um caminho, porque se estamos interessados em aprofundar em uma coisa, devemos também fazer alguns sacrifícios, como quando aprendemos matemática ou piano. Existem seus exercícios, assim como a matemática exige as tabuadas para multiplicar entre outras coisas, o piano as escalas e os arpejos, do mesmo modo a fé também precisa seus exercícios espirituais que vão desde a oração a mais. Somente se nos adequarmos a este tipo de disciplina, chegaremos a descobrimentos sensacionais”.

Durante o programa, Bocelli também explicou os objetivos e origem de sua fundação. “A vida te reservou tanta fortuna e em torno a ti existem tantas situações difíceis”, que deve fazer algo, indicou.

O cantor italiano disse que foi inspirado por um sacerdote, a quem definiu “como um herói de nossos tempos, porque é uma pessoa que dedicou toda sua vida ao trabalho nos lugares onde existe muito sofrimento”.

Nesse sentido, falou acerca de sua amizade com o Papa Francisco. “Pedi para reunir-me com o Papa para falar a respeito da minha fundação e fui recebido rapidamente”.

“Conheci o Papa e seus colaboradores e devo dizer que fiquei impressionado sobretudo pela atenção que dão ao próximo. São pessoas que realmente acreditam naquilo que fazem e se comportam com uma coerência admirável”, afirmou o tenor, que no último mês de julho comoveu Roma e as redes sociais com sua interpretação de Amazing Grace na Praça de São Pedro.