ROMA, 21 Mai. 15 / 05:34 pm (ACI).- “Uma só carne em um só espírito” é o título do novo livro do Pe. José Granados, consultor da Congregação para a Doutrina da Fé no Vaticano e vice-presidente do Pontifício Instituto João Paulo II, que medita no texto sobre a teologia do matrimônio ao serviço da sociedade e da Igreja.

 

Em declarações ao Grupo ACI em Roma, o Pe. Granados explicou: “O objetivo do livro é mostrar a beleza do plano de Deus sobre o matrimônio e a família”.

O sacerdote especialista neste tema exortou a reforçar o vínculo entre a família e a fé para enfrentar os desafios atuais: A família está em crise: o divórcio, modelos de família contrários ao Evangelho, crianças abandonadas, o aborto… É certo, existem problemas, mas acima de tudo a família é uma boa notícia e a indissolubilidade (do matrimônio) não é uma carga, é uma graça que brota do Evangelho cristão”.

“O grande desafio não é o que a sociedade propõe, mas principalmente o que Deus propõe através da Igreja, dando-lhe o dom da família”, falou o perito a respeito do Sínodo de Outubro a ser realizado este ano no Vaticano e que terá por tema os desafios pastorais da família no contexto da Nova Evangelização.

“Deus propõe um desafio, porque deu à Igreja um dom que é a família e pede que a cultive, promova e se faça crescer esse dom. Deste ponto de vista podemos orientar as dificuldades, como por exemplo o tema dos divorciados, com uma grande compaixão pelo sofrimento de muitas pessoas. E finalmente, compreender que quando a Igreja anuncia o Evangelho e a indissolubilidade do matrimônio, não faz esse anuncio como uma teoria, mas como um dom concreto. Pois é desta maneira como pode servir melhor as pessoas”, explicou o Pe. Granados.

O sacerdote disse também ao Grupo ACI: “Cristo coloca o matrimônio no centro do Evangelho (…). Existe uma ‘boa notícia” sobre o matrimônio e a família que a Igreja quer anunciar e dar importância na sociedade tão secularizada em que vivemos”.

O propósito deste livro é iluminar o tema do matrimônio e sua adequada compreensão, pois “é um sacramento muito especial que possui a força para mudar a sociedade”. O Pe. Granados afirmou também que “a teologia do matrimônio o permite pois através do amor indissolúvel entre o homem e a mulher é estabelecida uma célula para o bem dos filhos”.

Em Jesus é possível viver o amor humano porque no sacramento, expressou o sacerdote, “Cristo dá seu próprio amor aos cônjuges para que se amem da mesma maneira que Ele ama a Igreja”.

Este sacerdote, dos Discípulos dos Corações de Jesus e de Maria, mencionou sobre o tema da comunhão para os divorciados que voltaram a casar pelo civil e sublinhou: “A Igreja não busca julgar, mas seu objetivo é curar o coração das pessoas, pois “o matrimônio indissolúvel é um chamado que Deus faz e poder acompanhar as pessoas para que respondam a esta vocação é a grande misericórdia da Igreja”.

O Pe. Granados indicou também: “Devemos compreender que a misericórdia de Deus não é somente olhar-nos com compaixão, mas curar as feridas e ajudar-nos a caminhar”.

“Isto permite que a Igreja veja que dar a comunhão aos divorciados não é uma solução e pode procurar outras soluções: inventar outros caminhos para acompanhar os divorciados em nova união civil, para que possam viver à altura da Eucaristia e do sacramento”, concluiu o sacerdote.

O livro do Pe. Granados é lançado meses antes da Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, convocada pelo Papa Francisco de 4 a 25 de outubro deste ano, nos chama a meditar sobre “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”.

A primeira parte do livro, titulada “Uma só carne”, é inspirada no livro do Gênesis pois é a expressão usada para falar do matrimônio indissolúvel. A segunda parte, “Um só espírito”, recorda que o Matrimônio é um dom do Espírito Santo.

Por Marta Jiménez