Artigo publicado em Voz Portucalense, em 1 de outubro de 2014, escrito por António Jesus Cunha

 

Foi uma verdadeira festa o encontro do Papa com idosos e avós, no dia 28 de Setembro de manhã, na Praça de São Pedro. “A bênção de uma longa vida” foi o tema deste encontro que contou com a presença de Bento XVI. O presidente do Conselho para a Família explicou o sentido do encontro, recordando que “a velhice não é uma tragédia, mas uma vocação. Graças a Deus foram-se alongando os anos de vida. E contudo há que aprofundar e viver melhor o sentido e a importância deste tempo da existência humana. Os idosos não são apenas objecto de atenção e de cuidados, mas também sujeito de uma nova perspectiva. É preciso repensar o lugar e a tarefa que lhes cabe”. Concelebraram com o Papa algumas dezenas de padres idosos.

Foram proclamados textos bíblicos, evocativos de personagens de idade, como Sara, Naomi, Eleazar, Zacarias e Isabel, Ana e Simeão. Um casal de idosos, refugiados iraquianos, testemunhou as dificuldades enfrentadas por tantas pessoas idosas obrigadas a fugir de zonas de guerra. Aguardada com interesse a intervenção do tenor italiano Andrea Bocelli.

Da homilia do Papa, esta passagem: “Podemos pensar que a Virgem Maria, quando Se encontrava em casa de Isabel, terá ouvido esta e o marido Zacarias rezarem com as palavras do Salmo (71/70): “Tu és a minha esperança, ó Senhor Deus, e a minha confiança desde a juventude. Não me rejeites no tempo da velhice, não me abandones, quando já não tiver forças. Agora, na velhice e de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, para que anuncie a esta geração o teu poder, e às gerações futuras, a tua força”. A Maria ouvia e guardava tudo no seu coração. A sabedoria de Isabel e Zacarias enriqueceu o seu espírito jovem; não eram especialistas de maternidade e paternidade, mas eram especialistas da fé, especialistas de Deus, especialistas da esperança que vem d’Ele: é disto que o mundo tem necessidade, em todo o tempo. Maria soube ouvir aqueles pais idosos e cheios de enlevo, aprendeu com a sabedoria deles, e esta revelou-se preciosa para Ela, no seu caminho de mulher, de esposa, de mãe. O futuro de um povo supõe necessariamente este encontro: os jovens dão a força para fazer caminhar o povo e os idosos revigoram esta força com a memória e a sabedoria popular”.

(Fonte www.news.va)