LOS ANGELES, 28 Set. 15 / 05:57 pm (ACI).- Vândalos entraram na Missão São Carlos Borromeu (conhecida como Missão do Carmelo), na Califórnia, Estados Unidos, e danificaram uma estátua de São Junípero Serra, pintaram de vermelho várias tumbas assim como as paredes e portas do templo e escreveram “santo do genocídio” sobre uma das lápides.

 

Segundo as autoridades, os agressores entraram na Missão, localizada na Diocese de Monterrey, Califórnia, durante a madrugada do domingo, 27 de setembro.

Em declarações recolhidas pelo Los Angeles Times, o sargento Luke Powell explicou que a polícia está investigando o caso como crime de ódio, pois os vândalos atacaram “especificamente as lápides de pessoas com descendência europeia e não as de descendentes nativos americanos”.

Até o momento, disse, “ninguém tomou responsabilidade pelo ato”.

A Missão do Carmelo foi uma das muitas fundações de São Junípero Serra, frei franciscano espanhol que desenvolveu seu ministério na região sudoeste do atual Estados Unidos. É conhecido como o “Pai da Califórnia” e sua imagem permanece no Salão Nacional das Estátuas do Capitólio dos EUA, apesar de um político homossexual ter tentado retirá-la.

Grupos indigenistas locais criticaram a canonização, pois asseguraram que São Junípero Serra maltratou os nativos durante a evangelização da região. Entretanto, diversos peritos e historiadores desmentiram tais afirmações.

O Papa Francisco canonizou Junípero Serra em 23 de setembro, no Santuário Nacional da Imaculada Conceição, em Washington D.C., durante sua visita apostólica aos Estados Unidos.

Em sua homilia durante a Missa de canonização, o Santo Padre destacou que Junípero Serra “soube deixar sua terra, seus costumes, animou-se a abrir caminhos, soube sair ao encontro de tantos aprendendo a respeitar seus costumes e particularidades”.

O Papa destacou também como inspiração o lema de São Junípero Serra, “sempre em frente”.

A Missão do Carmelo expressou em sua página de Facebook sua tristeza pelo ataque e pediu aos fiéis que “rezassem para que as pessoas que fizeram isto assumam com responsabilidade seus atos nesta propriedade sagrada e que encontrem reconciliação”.

“Agradecemos aos voluntários que rapidamente ajudaram com a limpeza do lugar, e à tarde se pôde celebrar a Missa em ação de graças pela canonização de São Junípero Serra”. A Missão exortou os fiéis a recordar que “vivemos em uma amorosa comunidade e não nos desalentemos por estas coisas”.

“Como dizia São Junípero, ‘sempre em frente, nunca atrás’”, assinalou o comunicado no Fanpage.