Cardeal Robles Ortega, presidente da Conferência Episcopal Mexicana, na sua homilia de 15 de agosto, abordou a questão da família

ROMA, 20 de Agosto de 2014 (Zenit.org) – O arcebispo de Guadalajara e presidente da Conferência Episcopal Mexicana (CEM), o cardeal José Francisco Robles Ortega, reiterou que, tanto para a Igreja quanto para a sociedade “o tema da família é crucial”.

Em sua homilia de 15 de agosto, festa da Assunção da Virgem Maria, o cardeal ofereceu aos fiéis uma reflexão sobre a importância do Sínodo Extraordinário sobre a família, convocado pelo Papa Francisco para o mês de outubro deste ano. De acordo com o cardeal Ortega a escolha de realizar um Sínodo especial sobre este assunto demonstra a importância da família para a Igreja e para a sociedade.

O presidente da CEM observou que “para nós, do ponto de vista da nossa fé, e respeitando outros pontos de vista, a família não é apenas o santuário da vida, onde nasce, cresce e floresce a vida humana, mas é também considerada como a primeira escola, onde o ser humano sabe que é amado, aceito e respeitado”.

Na família, disse ele, o ser humano também aprende “a variedade dos carismas, os modos de ser, os diferentes dons que existem na família e como respeitá-los e trazê-los em harmonia para o bem de cada um dos seus membros e para o bem da própria sociedade”. A advertência do cardeal Robles Ortega é, portanto, “estar vigilante” e, na medida do possível, “participar ativamente para tornar as nossas famílias a base para uma nação melhor”.

Dentro das famílias, no entanto, há um risco de que a transmissão da fé esteja falhando. Com preocupação o arcebispo de Guadalajara destacou que “aqueles que frequentam regularmente a igreja estão ficando mais velhos e seu número está em constante declínio”. O cardeal Robles Ortega não abandona a esperança nos jovens, que representam “um modo novo e renovado, de ser cristão”.