De 18 a 23 de maio, aconteceu o Congresso de Pentecostes, no lugar de origem da Obra, junto ao Santuário Original da Mãe e Rainha, em Schoenstatt/Alemanha. No início do novo século de sua história, o Movimento Apostólico de Schoenstatt reúne 120 líderes de 25 países, representando mais dos 200 nos quais a Família Internacional de Schoenstatt está presente.

 

Em espírito de Cenáculo, com Maria, vivenciam o que significa ser uma verdadeira Família Internacional. Para traçar as metas, trazem todas as correntes de vida que a Divina Providência suscitou na Obra, com a preparação e celebração do Centenário da Aliança de Amor, em outubro de 2014, em Schoenstatt, e no encontro com o Papa Francisco, em Roma. O carisma do Pe. José Kentenich é contextualizado com os atuais impulsos que o Papa tem dado para a renovação da Igreja e com o que Deus tem comunicado por meio das principais tendências da atualidade.

Como conclusão, definem metas comuns registradas em um memorando: Queremos ser Família Missionária, Schoenstatt em saída, para que no mundo todo, as pessoas encontrem a Aliança de Amor como um grande presente para suas vidas, uma possibilidade especial para aprofundar e viver a Aliança selada no batismo. Caminhamos juntos com o Papa Francisco, na Igreja e como Igreja. Queremos estar inseridos sempre mais nas paróquias. Pe. Antonio Bracht, da Equipe de Coordenação do Congresso afirma: “Os pontos principais do resultado é que somos Schoenstatt em saída. Um Movimento que reage aos sinais dos tempos: o que Deus quer de nós? Vamos reagir a isso, marcar o caminho para tudo o que a Igreja e o mundo precisam para a sua renovação. Nós também nos renovamos nas graças do Jubileu e agora tiramos as consequências práticas, renovamo-nos em nossa missão, nos colocando em caminho.”

A assinatura do memorando, sobre a tumba do Fundador, na Igreja da Santíssima Trindade, indica que o empenho missionário corresponde ao seu carisma, mariano em sua essência e por isso sempre a caminho. Correspondendo a estrutura e a pedagogia do Pe. Kentenich, o memorando não é um documento que obriga juridicamente, mas, somos Família e em liberdade e por amor queremos assumir juntos os compromissos definidos.

Roma, 25 de Maio de 2015 (ZENIT.org)