ALEPPO, 08 Fev. 17 / 07:00 am (ACI).- Em um vídeo comovente, a Irmã Maria Guadalupe Rodrigo se despediu, com lágrimas nos olhos, da cidade de Aleppo (Síria), após permanecer durante 6 anos acompanhando a missão pastoral encomendada a sacerdotes e religiosas do Instituto do Verbo Encarnado (IVE).

 

“Estou me despedindo da minha querida terra Síria. Foram dias lindíssimos, muito intensos. Estou cansada e vivi fortes emoções. Foi uma bênção do céu ter encontrado as irmãs, os missionários, ter visitado as ruas de Aleppo e acompanhá-los durante estes dias. Agora tenho que voltar para a Argentina”, explicou em um vídeo publicado nas redes sociais por SOS Cristianos en Siria (SOS Cristãos na Síria).

A religiosa de nacionalidade argentina está há 18 anos no Oriente Médio, primeiramente viveu na Terra Santa, em seguida foi transferida para o Egito e, desde janeiro de 2011 vive na Síria, onde lhe deram a possibilidade de ir embora quando começou a guerra, mas ela preferiu ficar.

Visivelmente emocionada, contou que uma das coisas mais bonitas que aconteceu durante o período que esteve na Síria foi poder transmitir “tudo o que aprendi durante este tempo”.

“Estando na Argentina, providencialmente fui chamada a dar testemunho de como viviam os cristãos na Síria. Então, tive que lhes transmitir o que viviam aqui. Agora, coube a mim fazer o contrário  e pude trazer a eles tudo o que eu aprendi neste tempo de vocês”, explicou.

“Podem permanecer tranquilos e seguros que tudo o que me diziam que lhes informasse quando estivesse aqui, todas essas lágrimas que eu vi em vocês, todos estes abraços que me deram e eram para eles, eles os receberam. Por isso estão tão agradecidos”, acrescentou.

Finalmente, a religiosa do IVE disse que a única coisa que deseja é “agradecer por esta missão de ser ponte”.

“Disseram-me quando nos despedimos: ‘Você é a nossa embaixadora’. Acho que este foi o elogio mais bonito que recebi. ter unido eles a vocês e vocês a eles”, concluiu a Irmã Guadalupe.

A paz na Síria é uma das principais preocupações do Papa Francisco. A guerra que começou em 2011 causou a morte de centenas de milhares de pessoas e deixou milhões de deslocados.

Em 2012 começou a guerra em Aleppo, onde se enfrentaram grupos rebeldes e terroristas, como a Frente Al-Nusra, a Frente Islâmico e o Exército Livre Sírio, contra o exército do governo sírio.

Quatro anos depois, em dezembro de 2016, a cidade foi libertada pelo exército do governo de Bashar Al Assad e atualmente está em uma etapa de reconstrução e avaliação de danos.