Cidade do México, 19 Mai. 16 / 12:30 pm (ACI).- O presidente do México, Enrique Peña Nieto, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), anunciou ontem que o governo promoverá que o reconhecimento do “casamento” gay na Constituição e no Código Civil Federal, de aplicação obrigatória em todo o país.

 

Através da rede social Twitter, Peña Nieto assinalou: “Assinei iniciativas de reforma para impulsionar que o casamento igualitário fique plasmado na Constituição e no Código Civil Federal”.

Durante algumas horas, o presidente mexicano usou como foto de perfil no Twitter uma imagem com a bandeira que caracteriza o movimento homossexual como filtro.

Enrique Peña Nieto teve uma diminuição na sua popularidade desde que começou sua gestão em 2012. Em abril, o diário mexicano ‘Reforma’ assinalou que a aprovação do mandatário mexicano diminuiu até 30%, a menor aprovação que um presidente teve nesse país desde 1995.

A desaprovação de Peña Nieto chegou a 66%, na pesquisa que realiza o jornal ‘Reforma’ a cada quatro meses.

Para Carlos Alberto Ramírez Ambriz, presidente do movimento mexicano ‘Dilo Bien’, que defende a família, Peña Nieto com sua proposta de reforma constitucional busca “destruir a família como base social”, ao mesmo tempo que concederá “mais poder à ditadura gay, encarregada de oprimir e censurar toda a sociedade que pense diferente dela”.

O movimento ‘Dilo Bien’ apresentou um abaixo-assinado através da plataforma internacional CitizenGO, exigindo aos senadores e deputados mexicanos que não aprovem as reformas propostas por Peña Nieto.

“A família é a base da sociedade. A reforma proposta pelo presidente atenta gravemente contra a instituição da família, a infância e o estado democrático e de direito no qual vivemos”, indica a carta que acompanha o abaixo-assinado.

Ramírez Ambriz explicou que a reforma impulsionada pelo presidente mexicano está contra a democracia e usa a família para esconder outros problemas.

“Há grandes necessidades no país que devem ser atendidas com rapidez”, assinalou, como por exemplo “erradicar a corrupção e resolver o tema dos desaparecidos”.

“O presidente e o partido político que o apoia (PRI) devem pagar um preço político alto”, assinalou, pois “não é possível que os funcionários públicos façam todo tipo de ações que prejudicam o México e não haja consequências”.

Por sua parte, para o Conselho Mexicano da Família (ConFamilia), “a iniciativa que o Presidente Peña Nieto promove, apoiado pelo seu Partido Político (PRI), é uma proposta que o posiciona e o seu partido em uma situação antifamília, que violenta a Declaração Universal dos Direitos Humanos”.

‘ConFamilia’ promove uma reforma constitucional radicalmente contrária à proposta de Peña Nieto e busca que a Constituição mexicana reconheça explicitamente o matrimônio como uma união entre um homem e uma mulher. Sua proposta foi apresentada ao Senado em fevereiro deste ano, acompanhada por mais de 240 mil assinaturas.

A plataforma mexicana ‘Red Família’ se pronunciou também contra a proposta do presidente e questionou em um comunicado se sua proposta “tiver também a intenção de que o casamento seja para três ou mais pessoas”.

‘Red Família’ exortou o presidente do México a “repensar e evitar impor a visão particular de alguns grupos e comunidades. Acabar com a finalidade do casamento e danificar mais nosso ferido tecido social não é o caminho para reivindicar demandas e ofensas”.

Para apoiar o Movimento ‘Dilo Bien’, exigindo aos parlamentares mexicanos que não aprovem as reformas propostas por Peña Nieto, acesse:http://citizengo.org/es/34641-protejan-familia-no-aprueben-iniciativa-reforma-constitucional-propuesta-por-pena-nieto