O representante da Igreja Ortodoxa Russa se diz preocupado com a repressão contra quem contesta a equiparação da união homossexual ao matrimônio

 

Roma, 29 de Outubro de 2015 (ZENIT.org) Redação |

Do olhar da Igreja Ortodoxa Russa, o Ocidente parece uma região esvaziada dos seus valores, afirma o Patriarca de Moscou e de Todas as Rússias, Kirill, sublinhando que os valores morais cristãos nas sociedades ocidentais se tornaram secundários à luz das ondas migratórias de povos de outras religiões.

“Nos últimos anos, tem havido mudanças radicais na vida espiritual do Ocidente”, observa o patriarca, ressaltando que “os países ocidentais deixaram de se identificar com a tradição cristã”. As razões, para Kirill, têm a ver com a imigração. “Hoje não vivem só cristãos no Ocidente, o que levou adiante uma ideia de sociedade em que os valores morais cristãos não devem ser dominantes”.

Falando com Franklin Graham, diretor da organização beneficente Samaritan’s Purse da igreja evangélica norte-americana Billy Graham Evangelistic Association, o patriarca manifestou preocupação com algumas leis adotadas no Ocidente para colocar a união entre pessoas do mesmo sexo no mesmo nível do “matrimônio natural que o Senhor nos comandou”.

Kirill observou ainda que “as pessoas que não concordam com essas leis estão sujeitas à repressão e os cristãos que defendem o significado eterno dos valores morais cristãos são submetidos a pressões, principalmente dos meios de comunicação”.

O patriarca disse também que a Igreja Ortodoxa Russa cortou relações com as igrejas cristãs que decidiram apoiar o casamento entre pessoas do mesmo sexo e ordenar padres e bispos homossexuais.