TUXTLA GUTIERREZ, 16 Fev. 16 / 02:30 pm (ACI).- Beatriz Muñoz é enfermeira e mãe solteira de vários filhos. Na tarde de ontem, teve a oportunidade de compartilhar sua história com o Papa Francisco e, sem medir palavras, sem maquiar suas dores, contou sua experiência e a luta que confrontou ao longo de sua vida.

 

A seguir a íntegra de seu testemunho:

Meu nome é Beatriz Muñoz Hernández, tenho 52 anos, sou enfermeira de profissão e mãe solteira. Sou terceira de uma família de 12 irmãos.

Minha infância esteve marcada pela pobreza, a violência e o abandono de meu pai, o que fez eu não me sentir querida e fornicar na adolescência, ficando grávida em várias ocasiões ao longo de minha vida e experimentando a tristeza, o rechaço social e a solidão mais profunda.

Encontrei-me com o amor de Deus através de sua Igreja e me resgatou, anunciando que me amava, que não me rechaçava e que, sobretudo, me perdoava.

Sendo enfermeira, muitas vezes me ofereceram a oportunidade de abortar, mas Deus me ajudou a não permitir atentar contra a vida de meus filhos.

A luta sempre foi difícil, pois com a precariedade, a solidão e o educar os filhos sozinha, a tentação do aborto sempre se apresentou como uma alternativa que parecia a solução para os problemas. Mas, com a ajuda de Deus, pude sair vitoriosa dessas batalhas e me encontrar com a verdadeira felicidade, que não está no que oferece a sociedade, mas sim ser em me encontrar com o amor do Pai, a misericórdia da Igreja e o perdão dos pecados em Cristo.

Através de um processo de constantes catequeses, me ajudou a entender e apreciar a palavra de Deus, a entrar em oração, a vida dentro da comunidade, a prática dos sacramentos, sobretudo a comunhão e a reconciliação, que alimentam agora minha vida e me permitem viver a misericórdia de Deus que o senhor, Santo Padre, anuncia para todos os fiéis, permitindo que em meu trabalho de enfermeira e em minha família, possa dar testemunho, anunciando o amor de Deus aos adolescentes, às mães solteiras e às famílias destruídas, sempre impulsionando ao encontro com Cristo através da Igreja que me acolheu como Mãe.

Santo Padre, só peço sua bênção, oração e fortaleza para os milhares de mulheres que se enfrentam ante a falsa saída do aborto, para que possam encontrar-se como eu com uma Igreja que as ama e acolhe.