ROMA, 15 Ago. 16 / 09:00 pm (ACI).- O grupo terrorista Boko Haram divulgou ontem um vídeo que mostra 50 meninas das mais de 200 que sequestraram há dois anos na cidade de Chibok (Nigéria), a fim de exigir a libertação dos jihadistas capturados pelo governo em troca das menores.

 

Em 14 de abril de 2014, o grupo terrorista sequestrou 276 meninas do colégio no povoado de Chibok, de maioria cristã. Aproximadamente 57 conseguiram escapar, mas o resto continua no cativeiro.

No vídeo, as menores aparecem junto com um dos terroristas, que afirma que “40 garotas se casaram conforme à vontade de Alá” e assinala que “outras morreram em bombardeios aéreos”.

No fundo, é possível observar uma das meninas com um bebê em seus braços. Teme-se que além de ter sido forçada a se converter ao islã, as menores tenham sido violentadas pelos terroristas e obrigadas a casar.

O terrorista disse ao governo da Nigéria que “devem libertar imediatamente os nossos irmãos”, ou não soltarão as meninas. “Deveriam saber que suas filhas ainda estão em nossas mãos”, expressa no vídeo de 11 minutos.

Desde 2009, este grupo terrorista sequestrou milhares de pessoas, causando 20.000 mortes e obrigaram 2,6 milhões de pessoas a fugir do norte da Nigéria.

O Boko Haram, cujo nome significa “a educação ocidental é pecado”, obrigou mais de 100.000 cristãos a fugir, assim como os muçulmanos que não compartilham seu pensamento.

Há alguns meses, o Arcebispo de Abuja (Nigéria), Cardeal John Onaiyekan, assinalou que com o Boko Haram “estamos falando do demônio, porque é algo diabólico”.