Por Claudia de Albuquerque e Sá

RIO DE JANEIRO, 01 Out. 14 / 09:03 pm (ACI).- Nesta quarta-feira, a Igreja no Brasil celebra o início da Semana Nacional da Vida, que acontecerá até 8 de outubro, Dia do Nascituro. Na Arquidiocese do Rio, a missa de abertura foi celebrada no Santuário do Cristo Redentor pelo bispo auxiliar Dom Antonio Augusto Dias Duarte. A Eucaristia, que foi concelebrada pelo vigário episcopal do Vicariato Norte, Pe. Cláudio dos Santos, trouxe dezenas de fiéis e defensores da vida à Capela de Nossa Senhora Aparecida, situada aos pés do monumento.

 

“Nos colocamos diante do Cristo Redentor, Aquele que ao assumir a nossa condição humana mostrou o valor divino e humano da vida. Jesus deu a própria vida para que nós pudéssemos ter vida em abundância. Esta celebração é muito simbólica por acontecer aos pés d’Aquele que é a vida, o caminho e a verdade para nós”, destacou Dom Antonio na ocasião.

Na homilia, o bispo ressaltou o testemunho de Santa Teresinha, cuja memória se celebra hoje. Segundo Dom Antonio, a jovem que morreu aos 24 anos e se tornou doutora da Igreja tem muito a ensinar. “Em uma de suas cartas, Santa Teresinha diz: ‘Amor atrai amor’.  Nosso amor apaixonado por Deus atrai amor por nós mesmos e pelos outros. Da mesma forma que aconteceu com ela, devemos entender que nosso valor consiste em sermos amados por Deus. Essa é a razão de amarmos a vida”, explicou.

Dom Antonio afirmou que os atentados contra a vida humana, na cultura do descarte, são consequência não apenas de uma ideologia, mas são causados por corações que não sabem amar a si mesmos.

“Pessoas que não amam a própria vida não sabem amar a vida do outro”, observou.

O bispo ressaltou ainda que os defensores da vida precisam estar de braços abertos, como o Cristo Redentor.

“As pessoas buscam ver neste santuário um coração exposto. Nós somos pessoas que promovem o amor, o cuidado e a acolhida da vida em qualquer circunstância e momento, não somos contra ninguém. Assim como nada pode impedir o amor de Deus por cada um de nós, por maior que seja o ódio, nada vai nos impedir de proclamar o amor à vida. É necessário deixar em evidência o que é essencial. Precisamos proclamar esse amor apaixonado de Deus, que dá valor e sentido a vida humana. Que possamos lembrar sempre que sob a nossa vida tem um amor divino, o coração de Deus bate forte por nós!”, finalizou Dom Antonio.

No final da Eucaristia inaugural do evento que acontece simultaneamente em todas as dioceses do Brasil, a coordenadora estadual do Movimento da Cidadania pela Vida, Brasil sem Aborto – RJ, Maria José da Silva, destacou ainda: “Iniciamos hoje esse grande clamor pela proteção da dignidade da pessoa humana. Que toda a sociedade possa propagar a cultura da vida, enaltecendo tanto o valor do bebê no ventre materno quanto o valor das mulheres que necessitam de amparo para que possam dar à luz”. “Lutamos por um Brasil livre do aborto, um país sem violência”, concluiu.

Para ajudar a destacar o evento e conhecer a programação confira o material preparado pela CNBB para a este especial momento da vida da Igreja no Brasil:

http://www.cnpf.org.br/downloads/cat_view/59-semana-nacional-da-vida-snv-2014