Edição especial é distribuída gratuitamente esta segunda-feira, dia 15 de agosto

 

Funchal, Madeira, 14 ago 2016 (Ecclesia) – A Diocese do Funchal lançou uma nova série do ‘Jornal da Madeira’ com a publicação gratuita de uma edição especial, que assinala o início de um “diálogo com os leitores” sobre o projeto editorial a seguir.

De acordo com um comunicado enviado à Agência ECCLESIA, a Diocese do Funchal vai distribuir gratuitamente uma edição especial do ‘Jornal da Madeira’ no dia 15 de agosto, festa da Senhora do Monte, um dia “tão significativo” para os madeirenses, com “a festa da Padroeira e tantas outras festas de Nossa Senhora” em várias paróquias do Arquipélago.

“Ouvidas diversas instâncias e recolhidas as suas sugestões, verificou-se ser opinião bastante geral que, apesar da importância das novas tecnologias da comunicação e de quanto se possa fazer para as incrementar, ainda continua a ser necessário um órgão de comunicação escrita para uma parte significativa da população”, refere o comunicado.

A Diocese do Funchal considera o desafio “bastante arrojado”, que deseja assumir com o presbitério e “o maior número possível dos católicos mais comprometidos na vida da Igreja e muitos emigrantes, que se mantêm em relação com as suas comunidades paroquiais”.

Num artigo desta edição especial, o vigário-geral da Diocese do Funchal refere que a primeira edição do ‘Jornal’ foi publicada no dia 27 de março de 1906, tendo adotado o nome de ‘Jornal da Madeira em novembro de 1923, que a diocese adquiriu no dia 1 de maio de 1932, iniciando a publicação do II série.

Para o cónego José Fiel de Sousa, ‘Jornal da Madeira’ assumiu um “papel importante” na região, tendo-se renovado e tornado “mais apelativo” depois de 1960 com a introdução de um novo “grafismo, cor e mais fotografia”, com o esforço da Diocese do Funchal que chegou a “alienar património para assegurar a regularidade da edição”.

O vigário-geral da Diocese do Funchal acrescenta que em 1985 “a empresa proprietária passou a ter uma comparticipação pública regional”, mantendo a diocese uma “quota mínima”.

De acordo com o comunicado enviado este sábado à Agência ECCLESIA, a Diocese do Funchal “desligou-se da pequena parte que tinha na empresa proprietária do ‘Jornal da Madeira’” em agosto de 2015, “reservando para si o título do jornal e do suplemento ‘Pedras Vivas’, conforme estava previsto”.

Em agosto de 2015, a Diocese do Funchal iniciou uma análise sobre “um projeto de comunicação social, que melhor se integre nas exigências atuais da ação evangelizadora da Igreja”.

A publicação da edição especial, que assinala o início da III série do ‘Jornal da Madeira’, decorre de “exigência legais” para “assegurar o título” e abre o “diálogo com os leitores” para “recolha de sugestões quanto à nova série do Jornal, a perspetivar e estruturar depois como resposta para o futuro”.

A nova edição do ‘Jornal da Madeira’ é distribuída em todas as paróquias e está publicada na íntegra na página da internet da Diocese do Funchal, onde os leitores se podem também pronunciar sobre o projeto editorial a seguir através do preenchimento de um inquérito

Agência Ecclesia