Roma, 28 Mar. 17 / 04:00 pm (ACI).- O presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, afirmou que, com a sua vida e o seu testemunho, a Madre Angélica, fundadora da EWTN, tornou concreta a proposta de São João Paulo II de nova evangelização.

 

São João Paulo II incentivou durante o seu pontificado uma nova evangelização, que fosse “nova em seu ardor, em seus métodos e em sua expressão”, como disse em um discurso aos bispos latino-americanos em 1983.

Devido à importância deste tema, o Papa Bento XVI decidiu criar o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, em setembro de 2010, nomeando Dom Fisichella como seu presidente.

Em declarações ao Grupo ACI na segunda-feira, 27 de março, o Arcebispo explicou que “depois que São João Paulo II falou da nova evangelização, ela (a Madre Angélica) foi capaz de tornar concreta, através da televisão, esta nova maneira de comunicar a Palavra de Deus”.

“A Madre Angélica, com o venerável Bispo Fulton Sheen, são, para toda a Igrejaimagens e ícones do que significa ser novos evangelizadores”, indicou o Prelado.

Dom Fulton Sheen, cuja causa de beatificação está em processo, ficou conhecido através da rádio nos Estados Unidos na década de 1930. Com seus programas, chegava a milhões de pessoas.

Dom Fisichella indicou também que a Madre Angélica é “para o mundo de hoje uma verdadeira apologeta”, que encorajava as pessoas a não “terem medo ante as dificuldades ou problemas”.

O Arcebispo celebrou na segunda-feira uma Missa no altar de São José, na Basílica de São Pedro, acompanhado por Pe. Federico Lombardi, ex-diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Em sua homilia, o Prelado afirmou que após um ano da morte da Madre Angélica, “é natural para todos nós, diante do mistério da morte que nos traz perguntas, que pensemos no sentido da vida”.

“O sentido da vida de Madre Angélica foi determinado pelo encontro. Ela se encontrou com Jesus Cristo em sua vida e, por essa razão, consagrou toda a sua vida a Cristo. Deste modo, ela foi, acima de tudo, uma mulher de fé”.

Em seguida, Dom Fisichella recordou uma frase da querida religiosa: “Queridos amigos, a fé é o que te faz começar, a esperança é o que te faz seguir e o amor é o que te leva até o fim”.

“Ela – continuou o Prelado – acreditou na palavra que Jesus lhe disse. Tudo o que ela criou foi consequência de ter acreditado, do seu encontro de fé. E seguiu o seu caminho e esse caminho é o que hoje milhões de pessoas podem ver, escutar e refletir”.

Para o presidente do Pontifício Conselho, “EWTN não é apenas televisão, este trabalho é consequência desta vocação, deste encontro da Madre Angélica com Cristo. Esta foi a sua vocação. Isso ela entendeu como o dom que o próprio Jesus lhe deu”.

“Gostaria de concluir esta breve reflexão com outra frase da Madre Angélica: ‘Tudo começa com uma pessoa, não importa se são apropriados ou não. Deus, desde toda a eternidade, te escolheu para estar onde está, neste momento da história e para mudar o mundo’. Guardamos estas palavras em nossas mentes e corações para recordar a tarefa que cada um tem neste serviço à Igreja”, concluiu o Arcebispo.

Na segunda-feira, no Alabama (Estados Unidos), o Bispo de Birmingham, Dom Robert Baker, presidiu uma Missa por ocasião do primeiro aniversário da morte da Madre Angélica, na qual esteve presente o presidente do Conselho Diretor Executivo da EWTN, Michael Warsaw, entre outros membros do canal de televisão.