D. António Carrilho incentiva a «acolher, viver e anunciar» a Misericórdia

 

Funchal, Madeira, 23 nov 2015 (Ecclesia) – O bispo do Funchal fez o anúncio diocesano do Ano Santo da Misericórdia, incentivando ao “espírito de caridade e serviço fraterno” e informou quais são as oito igrejas jubilares na Madeira e Porto Santo.

“Nas igrejas [jubilares], os fiéis poderão viver o dinamismo da conversão, libertando-se das marcas e consequências do pecado, crescendo e fortalecendo-se no espírito de caridade e serviço fraterno, dispondo-se a agir com misericórdia”, disse D. António Carrilho na homilia que proferiu este domingo, na solenidade de Cristo-Rei.

Segundo o prelado vão ser “igrejas de portas abertas”, com tempos indicados para a celebração da Reconciliação, momentos de adoração ao Santíssimo Sacramento e de reflexão sobre a Misericórdia de Deus.

Na homilia enviada à Agência ECCLESIA, o bispo do Funchal anunciou que as oito igrejas na diocese são “a Sé, Piedade (Porto Santo), Estreito de Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Prazeres, Ponta Delgada, Santana e Machico”.

O Jubileu extraordinário da Misericórdia celebra-se de 8 de dezembro a 20 de novembro de 2016.

“Na nossa diocese iniciar-se-á no dia 13 de dezembro, às 16h00, com a peregrinação a partir da igreja do Colégio, a culminar na abertura da Porta Santa da Misericórdia e a celebração da Eucaristia, na Sé do Funchal”, informou D. António Carrilho.

O prelado assinala que vai ser uma Igreja reconciliada e reconciliadora que “testemunha o perdão e celebra a Reconciliação”.

“Uma Igreja promotora da união das famílias, da proximidade dos grupos e dos sítios, da reconciliação na sociedade em geral. E que as nossas comunidades cristãs façam a experiência da indulgência jubilar, como experiência profunda de encontro com Deus e com os irmãos”, desenvolveu o bispo do Funchal.

Este tempo extraordinário, acrescentou, é um desafio que “toda a Igreja irá abraçar numa caminhada de renovação, de descoberta de uma linguagem” mais acessível e adaptada ao tempo.

“É um convite a fixarmos o nosso olhar e o nosso coração no estilo de vida de Jesus, na forma como Ele se relacionava com os outros, nas Suas palavras, gestos e atitudes, na Sua vida de total entrega por todos nós”, incentivou o bispo diocesano.

D. António Carrilho destacou ainda a presença da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima na diocese, nas três primeiras semanas da Quaresma de 2016.

Agência Ecclesia