Métodos naturais são «forma livre e responsável» de constituir família, assinala movimento que promove formação dos noivos.

 

Leiria, 21 jan 2015 (Ecclesia) – Os Centros de Preparação para o Matrimónio (CPM) em Portugal apresentam aos noivos católicos os métodos naturais de planeamento familiar para que estes possam ter filhos de “forma livre e responsável”.

“A aplicação destes métodos implica o conhecimento do corpo dos esposos e dos seus ritmos, leva ao diálogo em casal de forma a conviverem da melhor maneira durante a fase fértil e ao aprofundamento da sua intimidade”, explica à Agência ECCLESIA o presidente do CPM-Portugal.

Paulo Henriques assinala que os métodos naturais, considerados de auto-observação, fazem “cimentar” a relação entre os esposos e permitem de forma “livre e responsável constituir a sua família”.

O movimento católico frisa que o responsável pelo planeamento familiar “é o casal”.

O CPM-Portugal indica que, independentemente dos ritmos, existem “equipamentos e aplicações móveis” que facilitam a utilização dos métodos naturais que também são “mais ecológicos e mais baratos do que quaisquer outros”.

A posição surge dois dias depois das declarações do Papa, em conferência de imprensa, sobre “paternidade responsável” por parte dos católicos, com recurso aos “meios lícitos”, os métodos naturais de planeamento familiar.

“Alguns pensam que – desculpem a expressão – para ser bons católicos é preciso ser como os coelhos, não é? Não. Paternidade responsável: isso é claro e por isso há na Igreja grupos de casais, peritos nesta matéria”, disse, no voo entre Manila e Roma.

O presidente do CPM-Portugal admite que cada pessoa possa fazer uma “interpretação pessoal” das palavras do Papa sobre “paternidade responsável” e “planeamento familiar”, mas observa que Francisco “continua a defender” a posição da Igreja” sobre a “necessidade da generosidade à vida”.

Os métodos naturais de planeamento familiar são introduzidos nos encontros preparação para o Matrimónio quando se aborda o tema da fecundidade, ou “dependendo dos locais e das equipas”, é feita uma “sessão extra” sobre a temática.

Os dois métodos são o de Billings e o sintotérmico que “é mais eficaz” por usar “mais indicadores”, mas nos dois processos “é necessária a motivação dos elementos do casal”.

O CPM-Portugal, movimento da Igreja que tem como objetivo dedicar-se à preparação dos noivos para o Matrimónio, assinala que o tema do planeamento familiar através de métodos naturais é “bem” acolhido, quase sempre com “a surpresa” de ser a primeira vez que os ouvem ser apresentados como “métodos válidos e eficazes”.

Em 2013/2014, o CPM-Portugal facultou esta informação a cerca de 1000 pares de noivos em cerca de 100 encontros, em todas as dioceses.

Agência Ecclesia