ROMA, 08 Jun. 16 / 11:30 am (ACI).- A Igreja na Mongólia foi restabelecida no país há pouco mais de 24 anos e já se prepara para celebrar a primeira ordenação de um sacerdote nativo.

 

Em declarações à agência vaticana Fides, Pe. Prosper Mbumba, missionário congolês na Mongólia e membro da Congregação do Coração Imaculado de Maria, assinalou: “Teremos em breve o primeiro sacerdote natural da Mongólia: Joseph Enkh será ordenado sacerdote em Ulaan Baatar em 28 agosto de 2016, por Dom Wenceslao Selga Padilla, Prefeito Apostólico de Ulaan Baatar”.

“Este evento adquire uma particular importância para a nossa jovem Igreja refundada em 1992 e que hoje conta com pouco mais de mil batizados”, disse o Pe. Mbumba.

O missionário explicou que “a ordenação de um sacerdote nativo estimulará o sentido de pertença entre os mongóis e o entusiasmo por uma Igreja que por longo tempo foi vista como ‘estrangeira’”.

Joseph Enkh foi ordenado diácono em 11 de dezembro de 2014 em Daejeong (Coreia do Sul).

O futuro sacerdote serviu pastoralmente em diversas paróquias da Mongólia, país que conta com cerca de 20 missionários e 50 religiosas de 12 congregações.

“Os cristãos rezam muito pelo seu futuro sacerdote e as paróquias estão promovendo encontros de catequese, para oferecer à população uma melhor compreensão do ministério sacerdotal”, indicou o Pe. Mbumba.

 Em todas as Igrejas da Mongólia, assinalou o sacerdote missionário, “será realizada uma novena em preparação à ordenação”.

Muitos fiéis continuam enviando mensagens ao futuro sacerdote “para que ele saiba que estão orgulhosos de sua vocação e que confiam na sua presença e na sua obra”, indicou.

“Agradecemos a Deus por este dom e por este entusiasmo”, concluiu o Pe. Prosper Mbumba.