Encontro-peregrinação nacional reuniu 150 casais em Fátima

 

Fátima, Santarém, 09 mar 2015 (Ecclesia) – Os Centros de Preparação para o Matrimónio (CPM) em Portugal promoveram entre sábado e domingo o seu encontro-peregrinação nacional a Fátima, que reuniu 150 casais em volta do tema ‘A comunicação em família’.

“A família também vai evoluindo e encontrando novas formas de se alicerçar com o amor total e para sempre na sociedade, hoje há muitas dificuldades que vêm da família”, assinalou o conferencista convidado, cónego João Aguiar, diretor do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais.

À Agência ECCLESIA, o sacerdote explicou que quando se pretendem famílias “minimamente fecundas”, o mercado habitacional oferece tipologias T1 ou T0, com “dificuldade para ter os avós”, questionando se as ofertas que permitem a gestão do tempo, como os infantários, são “compatíveis com o facto de todas na família trabalharem”.

O cónego João Aguiar alerta que se perdeu sobretudo a “paciência” e considera que devia haver um tapete à entrada de casa onde também se limpasse o que “aconteceu ao longo do dia”.

O conferencista começou por recordar aos 150 casais do CPM a “importância” da família ser “berço da comunicação”, como escreveu o Papa Francisco na mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais.

“A importância da comunicação na família, entre gerações, não apenas como informação mas oportunidade que cada um deve se mostrar e revelar a sua própria identidade. Também pela escuta e tempo para fazer silêncio para que o outro possa ter palavra”, comentou.

O objetivo foi que os casais percebessem que “imagens de família” recebem e qual o espaço de “dignidade” e de “serviço” dão aos meios de comunicação social.

Já o casal responsável a nível nacional pelos CPM, Paulo Henriques e Célia Morouço, assinalou que a 45.ª peregrinação nacional pretendeu proporcionar o “encontro” entre os que trabalham nestes centros.

No encontro-peregrinação nacional, os participantes também refletiram sobre o tema ‘Diálogos e gestos de amor’, questão que segundo Paulo Henriques é a “mais” debatida com os noivos nos Cursos de Preparação para o Matrimónio.

Célia Morouço acrescentou que os casais manifestam sempre “muito agrado e uma grande satisfação” pelos testemunhos, ideias e propostas que ouvem nos encontros.

LFS/CB/OC