Apresentada no Vaticano uma produção argentina sobre o papa

 

Redação | 15 de Dezembro | ZENIT.org | Mundo | Roma

Na manhã deste 14 de dezembro, a Cinemateca Vaticana celebrou o 46º aniversário da ordenação sacerdotal do papa Francisco projetando o primeiro episódio da produção argentina, “Francisco, o papa rebelde”.

É a primeira série de TV sobre o papa Francisco elaborada com base na sua única biografia autorizada, “El jesuita”, de Francesca Ambrogetti e Sergio Rubin.

O aspecto inovador da produção é que, desde o primeiro episódio, há referências bem claras ao segundo caso Vatileaks, que envolve os jornalistas Gianluigi Nuzzi e Emiliano Fittipaldi, além de Francesca Chaouqui e do mons. Lucio Angel Vallejo Balda, processados por furtar e divulgar documentos financeiros da Santa Sé.

Os produtores da série negam toda ligação com o vazamento de documentos privados, até porque, dizem, “ninguém sabia ainda o que estava acontecendo no Vaticano quando foram iniciadas as filmagens”.

As explicações são mais do que legítimas, mas a série desfrutará, pelo menos na Itália, de um interesse geral do público por conta dessa coincidência, capaz de chamar ainda mais a atenção da opinião pública para o escândalo da corrupção, tão denunciada pelo próprio papa diante de uma sociedade cada vez mais corrompida.