DENVER, 07 Jun. 16 / 08:00 am (ACI).- O Pe. Vincent Topper foi ordenado há 80 anos e é o sacerdote mais idoso dos Estados Unidos. Completará 104 anos no próximo dia 28 de julho e só gostaria de ser recordado como “um bom sacerdote que levou as pessoas a Cristo”.

 

O Pe. Topper foi testemunha das mudanças que aconteceram na Igrejadepois do Concílio Vaticano II, como por exemplo, celebrar a Missa olhando para os fiéis e já não de costas. Também recorda que a Igreja tinha uma presença forte na sociedade.

O sacerdote nasceu na Pensilvânia, no seio de uma família numerosa e perdeu a sua mãe e vários irmãos quando era criança. Quando estava no segundo grau de educação primária descobriu que queria ser sacerdote e começou a participar como coroinha em sua paróquia natal de St. Joseph.  

Seu pai tinha um comércio e queria que seu filho fosse seu sócio. Entretanto, quando percebeu a vocação do menino, renunciou aos seus projetos e o apoiou. O jovem terminou o ensino médio em uma escola católica aos 15 anos.

Estudou latim e grego, mas não tinha o nível que era necessário para entrar no seminário beneditino de St. Vincent Archabbey. O sacerdote que o acompanhava propôs enviá-lo a outro seminário, mas o reitor quis admiti-lo e lhe concedeu um ano de experiência.

 

“Sim, eu rezava, mas tinha que estudar. Se você reza, mas não estuda, não conseguirá seus propósitos. Deus não faz milagres assim”, disse ao jornal OSV Newsweekly. O Pe. Topper considerou que esse tempo de preparação para o sacerdócio foi “uma experiência maravilhosa” e recordou seus professores como homens “dedicados e santos”.

No dia 6 de junho de 1936, foi ordenado sacerdote pelo Bispo de Harrisburg, Dom George L. Leech e lhe deram sua primeira missão na paróquia Immaculate Conception of the Blessed Virgin Mary: buscar com o automóvel do pároco as famílias que não tinham como chegar à igreja.

“Estávamos em meio à Grande Depressão e apenas uma das 19 famílias de nossa paróquia tinha um automóvel. A igreja tinha nove bancos, cinco em um lado e quatro no outro. Havia uma pequena estufa. Chegávamos, confessá-vamos, celebrávamos a Missa e depois havia um momento de catequese”, comentou.

Em 1978, aposentou-se, mas há 16 anos ajuda na atenção pastoral, anima os leigos a entregar sua vida a Deus e aconselha os sacerdotes na paróquia de St. Catherine Labouré, na Pensilvânia. É muito querido pelos adultos e pelas crianças.