Documento é acompanhado por 46 perguntas

Cidade do Vaticano, 09 dez 2014 (Ecclesia) – O Vaticano apresentou hoje o documento preparatório (‘lineamenta’) para o Sínodo 2015.

 

O texto é constituído pela ‘Relatio Synodi’, o relatório final da assembleia geral extraordinária do orga-nismo consultivo que decorreu em outubro deste ano, acompanhado por um questionário com 46 perguntas.

Os contributos das conferências episcopais serão depois utilizados para a elaboração do documento de trabalho (Instrumentum Laboris) da 14ª Assembleia Geral ordinária do Sínodo dos Bispos, que vai decorrer de 4 a 25 de outubro de 2015, com o tema ‘A vocação e a missão da família na Igreja, no mundo contemporâneo’.

O relatório final da assembleia extraordinária do Sínodo dos Bispos, em outubro deste ano, refere que o único “vínculo nupcial” na Igreja Católica é o sacramento do Matrimónio e que “qualquer rutura do mesmo é contra a vontade de Deus”.

O Sínodo assume a necessidade de “discernir os caminhos para renovar a Igreja e a sociedade no seu compromisso pela família fundada sobre o matrimónio”, a “união indissolúvel entre o homem e a mulher”.

Os participantes sustentam que “os grandes valores do matrimónio e da família cristã” são a resposta aos anseios da existência humana face ao “individualismo” e “hedonismo”.

O documento sintetiza as duas semanas de debate, com intervenções em sessões gerais e discussões em grupos linguísticos em que se discutiu muito a relação entre doutrina e misericórdia.

Jesus, “colocou em prática a doutrina ensinada, manifestando assim o verdadeiro significado da misericórdia”, pode ler-se, antes de se referir que “a maior misericórdia é dizer a verdade com amor”.

A reflexão sobre casamentos civis, divorciados e recasados na Igreja deixa uma mensagem de “amor” para com a “pessoa pecadora” e diz que esta participa “de forma incompleta” na vida eclesial: “Trata-se de acolher e acompanhar estas pessoas com paciência e delicadeza”.

O relatório retoma as observações sobre a necessidade de fazer “escolhas pastorais corajosas” na ação da Igreja junto das “famílias feridas”, em particular junto de quem “viveu injustamente” a separação e o divórcio.

O documento final do Sínodo de 2014 foi votado ponto a ponto, em cada um dos seus 62 números, que reuniu 470 propostas dos chamados ‘círculos menores’.

Os ‘lineamenta‘ perguntam agora aos católicos se “a descrição da realidade da família”, apresentada neste relatório, “corresponde ao que se encontra na Igreja e na sociedade de hoje”.

O documento foi enviado às Conferências Episcopais, aos responsáveis dos Institutos Religiosos e aos organismos da Cúria Romana, para recolha de contributos.

“Os resultados desta consulta devem ser enviados à Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos até 15 de abril de 2015, para que possam ser estudados e valorizados na preparação do instrumento de trabalho, que será publicado antes do verão”, adianta a Santa Sé, em comunicado.

OC