Padre Pasquale Foresi foi o primeiro focolarino sacerdote

Roma, 16 de Junho de 2015 (ZENIT.org)

A presidente dos Focolares, Maria Voce, anunciou a todos os membros do Movimento a morte do Padre Pasquale Foresi, ocorrida na noite de domingo, 14 de junho. “Unamo-nos a Chiara ao doar a Maria este seu filho predileto, superando desta forma a dor da separação”.

“De uma personalidade riquíssima – escreve Maria Voce – na qual Chiara Lubich sempre reconheceu um ‘desígnio’ particular: o da encarnação, ou seja, a função de ajudar a transformar em obras concretas as intuições e as moções que o Espírito Santo, aos poucos, ia suscitando nela”.

Nascido em Livorno dia 05 de julho de 1929, numa família cristã – o pai, Palmiro Foresi, era membro dos Democratas Cristãos desde 1946 e atuou por dois mandatos na Assembléia Constituinte italiana – encontrou Chiara Lubich em Trento em dezembro de 1949.

Havia sentido a vocação ao sacerdócio e frequentava o seminário de Pistoia e o Colégio Capranica, em Roma. Num determinado momento, ele não teve uma crise de fé, mas “começou a ver tudo com outros olhos”. Ele conta: “notei uma fé absoluta na Igreja católica e, ao mesmo tempo, uma vida evangélica radical. Entendi que aquele era o meu lugar e, muito em breve, a ideia do sacerdócio retornou”. Pasquale Foresi foi ordenado sacerdote em 04 de abril de 1954.

Sua figura é considerada muito importante na história dos Focolares: ele tinha apenas 20 anos quando, em 1949, Chiara Lubich lhe pediu para partilhar a responsabilidade do nascente Movimento. Chiara Lubich percebeu que Pasquale Foresi tinha um papel especial para o desenvolvimento do Movimento dos Focolares: o da encarnação do carisma da unidade, e por isso o considerava, junto a Igino Giordani, seu cofundador. Tornou-se o primeiro focolarino sacerdote. Depois dele outros focolarinos perceberam este chamado especial, a serviço do Movimento.

Viveu os últimos anos longe dos holofotes, no seu focolare em Rocca di Papa, junto com alguns dos primeiros focolarinos, companheiros de viagem de sempre: Marco Tecilla, Bruno Venturini, Giorgio Marchetti.

O Movimento dos Focolares ou Obra de Maria é uma associação privada de direito pontifício, com base na espiritualidade da unidade que norteou a sua fundação e o seu desenvolvimento. É constituído por pessoas de diferentes etnias, religiões, culturas e classes sociais, presentes em diferentes ramificações; composto por leigos (adultos, jovens, adolescentes, crianças), religiosos e religiosas, sacerdotes e bispos.

Está presente em 194 países nos cinco continentes, com centros em 80 países; cerca de 120 mil membros e meio milhão de adeptos. Além de cristãos católicos, fazem parte do Movimento dos Focolares cerca de 25 mil cristãos de 350 Igrejas e comunidades eclesiais; compartilham de forma diferente a espiritualidade e os seus objetivos mais de 7 mil fiéis das principais religiões e 10 mil pessoas de convicções ou culturas não religiosas.