Havana (RV) – Os bispos de Estados Unidos e Cuba se pronunciaram depois do histórico discurso dos Presidentes Barack Obama e Raúl Castro para restabelecer relações diplomáticas.

 

A Conferência Episcopal de Cuba (COCC) destacou a “nova etapa” que marca as relações entre os dois países e expressou “especial gratidão” ao Papa Francisco como “gestor importante” desse evento.

“Agradeçamos ao Senhor, às vésperas do Natal, para que novos horizontes de esperança iluminem a vida do povo cubano, pois as boas relações entre povos tão próximos são o fundamento de um futuro promissor”, lê-se num comunicado divulgado no site da Conferência Episcopal.

Os Bispos expressam confiança de que a vontade manifestada pelos dois presentes contribua “para o bem-estar material e espiritual” do povo cubano.

Igreja nos EUA

Também o Arcebispo de Miami, Dom Thomas Wenski, destacou o papel do Pontífice. “O Papa Francisco fez o que se espera que um Papa faça: construir pontes e promover a paz. Ele atuou muito como Francisco de Assis, que durante a quinta cruzada foi ao Egito para encontrar o Sultão al Kamil no interesse da paz.”

Dom Wenski recordou ainda o empenho das Igrejas nos dois países. A cubana, que sempre se opôs ao embargo, argumentando que se trata de um instrumento que penaliza mais os inocentes do que os culpados, e a estadunidense, que sempre pediu que o governo que revisse sua política, oferecendo todo apoio à Igreja em Cuba.

Esperança

“Que esta mudança ofereça uma esperança real ao povo cubano em ambos os lados do estreito da Flórida”, concluiu o Arcebispo de Miami. 

(BF)

(from Vatican Radio)

 2014-12-18