As comunidades católicas estão vivendo intensamente a abertura do Ano Santo, ao qual se prepararam há semanas com peregrinações, Missas e orações

 

Redação | 11 de Dezembro | ZENIT.org | Igreja e Religião | Roma – Na China as comunidades católicas, depois de terem se preparado longamente, estão vivendo de forma intensa a abertura do Ano Santo extraordinário da Misericórdia, em comunhão com a Igreja universal e com o Papa Francisco que o convocou. A notícia veio da Agência Fides que explica que à luz da Bula de instituição do Jubileu Misericordiae vultus, divulgada e meditada nas semanas passadas, muitos bispos escreveram uma carta pastoral sobre o argumento.

As comunidades particulares intensificaram o compromisso espiritual com as peregrinações, a participação na Missa e os encontros de oração, além de ligar o tema da misericórdia com a realidade da própria comunidade. O programa também inclui as obras de misericórdia recomendadas pelo Papa: visitar aos enfermos, aos anciãos, aos deficientes, aos orfanatos.

Conforme relata a agência Fides, na maioria das dioceses e comunidades eclesiais de base da China continental houve celebrações de abertura do Ano Santo da Misericórdia.

Mais de 5.000 fiéis da diocese de Zhou Zhi, da província de Shaan Xi, participaram da abertura do ano jubilar presidida pelo bispo ordinário, Mons. Wu Jing Qin, no dia 8 de dezembro, com a abertura da “Porta da Misericórdia” da catedral. Na mesma diocese, no 12 e 13 de Dezembro, serão abertas as portas da misericórdia do santuário da Cruz e do santuário dedicado à Nossa Senhora da China.

Uma cerimônia semelhante ocorreu em muitas outras dioceses da China continental, incluindo a Diocese de San Yuan, Wen Zhou da província de Zhe Jiang, a diocese de Zheng Zhou, na província de He Nan, a diocese de Zhan Jiang da província de Guang Dong, Cheng Du, da província de Sichuan, Jiang Xi.

A diocese de Hai Men, na província de Jiang Su, escolheu a inculturação como tema da celebração diocesana do Ano da Misericórdia, unindo, assim o Ano Santo extraordinário à celebração jubilar dos 200 anos da evangelização da região e para os 90 anos da ereção da diocese. A porta da misericórdia da catedral e do santuário mariano da diocese serão abertas no dia 13 de dezembro.

Em sua carta pastoral intitulada “Deus, rico em misericórdia” (Ef 2,4), o administrador apostólico da diocese de Ha er bin salientou a importância de “olhar o rosto do Singore” e que “misericórdia é também inclusão”, sem esquecer que “a misericórdia precisa de arrependimento pela indiferença com os fracos”.