CARACAS, 08 Out. 16 / 10:00 am (ACI).- O Arcebispo de Caracas (Venezuela), Cardeal Jorge Urosa Savino, denunciou durante a abertura do ano acadêmico no Seminário Santa Rosa de Lima, que “vivemos em uma sociedade paganizada”, pois esta “perdeu o sentido do pecado”, onde a ideologia de gênero “proclama a atividade sexual indiscriminada e sem limites, como se não houvesse lei moral”.

 

Ante os jovens seminaristas, o Purpurado recordou que “mais do que um centro de formação acadêmica e de primeira categoria, o Seminário é uma comunidade espiritual, religiosa, para formar discípulos de Jesus”.

“É uma comunidade de aprendizagem, de crescimento nas virtudes, as teologais: fé, esperança e caridade; e as cardeais: prudência, justiça, fortaleza e temperança”. “Vocês são chamados a consolidar a vivência da fé e sua conduta cristã e, em primeiro lugar, como atitude fundamental, na escuta e no cumprimento da Palavra viva do Senhor, dos Dez Mandamentos da Lei de Deus”, afirmou na Missa no dia 3 de outubro.

O Arcebispo disse que “é importante recordar isso, pois vivemos em uma sociedade paganizada, materializada, onde a desordem moral foi se desenvolvendo, uma sociedade que perdeu o sentido do pecado, onde a contaminação amoral afeta todos”.

No campo da castidade, acrescentou, “vivemos em um mundo erotizado que promove continuamente a transgressão do sexto mandamento. Vivemos em um mundo onde a corrente cultural chamada ideologia de gênero proclama a atividade sexual indiscriminada e sem limites, como se não houvesse lei moral, como se o ser humano pudesse agir sem regras morais. E isto é totalmente falso e anticristão”.

O Cardeal Urosa encorajou os seminaristas a serem “conscientes dessa situação e abraçar com entusiasmo e alegria os ensinamentos da moral cristã, rechaçar com força e perseverança o pecado, acolher a doutrina da ascética e da vida espiritual, aprofundar e fortalecer sua perseverança na virtude”.

Além disso, exortou-os a “viver de acordo com a verdade; com uma atitude cristã ante o dinheiro, rechaçar qualquer tipo de cobiça”.

Durante a homilia, o Arcebispo recordou que Cristo dedicou “muito tempo na formação dos seus apóstolos, seus discípulos prediletos”, pois os chamou a “estar com Ele para enviá-los a pregar”.

Nesse sentido, disse que a poucas semanas de terminar o Ano da Misericórdia, “é bom compreender que ser testemunhas do Senhor, para que o mundo creia e tenha vida, é uma linda obra de misericórdia. Por isso, todos os alunos do Seminário devem se esmerar em uma boa preparação espiritual e intelectual a fim de realizar essa belíssima missão”.

“Meus queridos irmãos: a maior testemunha, a melhor discípula de Jesus foi a sua Mãe Santíssima, Virgem Maria. Imitemo-la no cumprimento da Palavra de Deus, no cumprimento dos Dez Mandamentos, no amor total a Jesus Cristo, para crescer como homens de fé, para nos configurar realmente ao nosso Bom Pastor” e ser “bons sacerdotes para a salvação da humanidade”, concluiu o Arcebispo e enco-mendou o novo ano acadêmico à Virgem de Coromoto, Padroeira da Venezuela.