Cidade do Vaticano (RV) – “Bem-vindos à Igreja os casais não casados”. Segundo o cardeal de Manila, nas Filipinas, a Igreja deve abrir-se para a realidade de hoje e suas diferentes culturas e isso significa acolher também os casais não-casados.

 

 

Dom Luiz Antonio Gomik Tagle, arcebispo de Manila, um dos três presidentes delegados do Sínodo extraordinário sobre a família que começa domingo, 05, explica em entrevista, que nas Filipinas, a cada ano, são celebradas 4 ou 5 cerimônias coletivas de casamentos de casais não-casados. “Para nós, isto não é surpresa, porque de fato nós proclamamos o Evangelho. Nós o acolhemos com amor e misericórdia”.

“Muitas vezes celebramos casamentos religiosos dos pais juntamente com seus filhos adultos”, prossegue o cardeal. “É uma alegria e também é muito normal para nós”, afirma Dom Tagle. “A última festa que fizemos com vinte casais teve o tema da Família e do casamento, e de acordo com as tradições específicas, isso exige uma nova abordagem pastoral, adaptada à realidade de hoje”.

O cardeal observou “novos pontos de crise” da família, ligados à pobreza. “Estas são situações que devem ser levadas em conta, porque nem todas as separações são determinadas pelo hedonismo, egoísmo e individualismo, que também são comuns no nosso tempo”.

Falando sobre o pontificado de Bergoglio, o cardeal enfatiza o carisma do franciscano e a sabedoria do jesuíta perceptíveis no Papa e finaliza dizendo que o Santo Padre propõe uma Igreja marcada por três palavras: normalidade, caridade, simplicidade. (KSF)

 2014-10-02 Rádio Vaticana