Roma, 16 Nov. 15 / 11:49 am (ACI).- Os Bispos do mundo inteiro mostraram durante estes dias sua dor, indignação e solidariedade, pelos terríveis ataques terroristas realizados por jihadistas na última sexta-feira, 13, em Paris (França), no qual morreram 129 pessoas e muitas permanecem feridas.

 

O Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, enviou uma mensagem ao Arcebispo da capital francesa, Cardeal André Vinght-trois: “Gostaria de assegurar-vos a minha solidariedade fraterna e do povo do Rio de Janeiro neste momento doloroso para nossos irmãos de Paris e da França. Nossas orações a Deus pelos mortos e seus familiares e também pela paz dentro do vosso país. Em unidade queira aceitar nossas condolências”.

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) emitiu um comunicado no qual afirmava estar “profundamente abalada pelos ataques terroristas que ensanguentaram Paris”.

“A Igreja italiana mostra sua solidariedade à Igreja na França e a todos franceses. Assegurou que em todas as comunidades cristãs no domingo (15 de novembro), dia da memória da Ressurreição do Senhor, a oração se elevará unânime em sufrágio pelas vítimas e como sinal de proximidade fraterna para com os feridos, seus familiares e a todos aqueles que os socorreram”.

Por sua parte, o Cardeal Angelo Bagnasco, presidente da CEI e Vice-presidente dos Conselhos das Conferências Episcopais da Europa, condenou “a estratégia do terror que se expressa neste novo atentado à humanidade” e recordou o compromisso “de toda a comunidade eclesiástica a contribuir ativamente à convivência social, à reconciliação e à paz”.

Os Bispos da Espanha também publicaram durante estes dias algumas mensagens. O Arcebispo de Valladolid e Presidente da Conferência Episcopal Espanhola, o Cardeal Ricardo Blázquez Pérez, enviou uma mensagem ao Cardeal de Paris, André Vingt-trois, no qual lhe declarou: “Em nome dos Bispos da Conferência Episcopal Espanhola, expressamos nossa dor e proximidade a você e ao querido povo de Paris, especialmente às vítimas e aos seus familiares, assegurando-lhes nossa oração ante o Senhor, Deus daVida e da Paz”.

“Junto a nossa indignação mais absoluta destes sórdidos atentados terroristas, desejamos afirmar, com a confiança que nasce da fé e da firmeza nos valores autênticos da pessoa humana, que o mal e a violência não vencerão nunca. A grande dor de vocês é também a nossa, a fé e o amor compartilhado são nossa comum esperança”, assegurou o Cardeal no telegrama.

Em outro comunicado, o secretário geral da Comissão das Conferências Episcopais da Comunidade Europeia (COMECE), o sacerdote Patrick Daly, assinalou que a brutalidade destes atentados “exige uma resposta do mundo civilizado”.

“Os ataques perpetrados contra o povo de Paris na noite de sexta-feira nos causaram repúdio e desprezo. Meus pensamentos e orações às vítimas destes atos de violência sem sentido e aos seus familiares. França não pode ceder a campanhas de terror ou ataques violentos; como também toda a Europa”.

“É vital que a Europa apresente uma frente unida diante da ameaça terrorista e que também esteja unida em sua política de exterior e defesa. As forças que atualmente ameaçam a Europa não respeitam as fronteiras nacionais. É urgente que os 28 estados membros da União Europeia atuem juntos mais eficazmente. Nossa segurança coletiva está em perigo, assim como a nossa liberdade para vivermos unidos em paz”, expressa a mensagem.

As demonstrações de repúdio ante os ataques e de solidariedade para as vítimas e seus familiares também chegaram de muitos outros países. Nos Estados Unidos, o Comitê Administrativo da Conferência de Bispos Católicos emitiu uma declaração na qual afirmaram que “o terror sempre procura separar-nos daqueles que mais amamos”.

“Através de seu sofrimento, valentia e compaixão, os parisienses nos recordam que o vínculo comum da humanidade é muito forte quando a necessidade é grande”.

“Rezamos por todos os que sofrem esta terrível violência e nos solidarizamos com todos os que trabalham a fim de construir uma sociedade pacífica”, afirma o comunicado.

Dirigindo-se ao povo francês, os Bispos norte-americanos manifestaram: “Compartilhamos sua dor e honramos as vidas perdidas de diferentes nacionalidades inclusive a nossa”.

“Aos nossos irmãos e irmãs da Igreja na França, queremos manifestar que sua família nos Estados Unidos os coloca próximos ao coração. Que o compassivo e misericordioso amor de Jesus Cristo lhes dê consolo ante esta grande prova e os leve a um caminho de cura e paz”.