MADRI, 31 Mar. 16 / 01:30 pm (ACI).- Na manhã de ontem, a Basílica do Pilar em Zaragoza (Espanha) apareceu pichada com frases que apoiam os anarquistas que colocaram uma bomba neste templo em outubro de 2013.

 

Eles picharam na fachada principal da basílica: “Mónica e Francisco devem ser libertados já”, em referência aos anarquistas chilenos Francisco Javier Solar e Mónica Andrea Caballero que foram julgados por ter colocado uma bomba no templo, o qual causou graves danos materiais e feriu uma mulher.

Os responsáveis estão à espera de uma sentença.

O Arcebispado de Zaragoza denunciou este acontecimento à Polícia Nacional e esta imediatamente iniciou uma investigação.

Além disso, o Arcebispado apresentou uma denúncia e qualificou estes fatos como “ato vandálico” que atenta contra o patrimônio e que supõem uma “apologia de um ato terrorista”.

A bomba que os chilenos Solar e Caballero colocaram no dia 2 de outubro de 2013 na Basílica estava composta por uma bomba de gás e dois quilos de pólvora negra e um relógio ativador. Este explosivo foi colocado na nave central.

Há alguns anos, ambos foram julgados no Chile por uma série de atentados, mas saíram em liberdade, enquanto na Espanha foram julgados por Audiência Nacional também por pertencer à organização terrorista como integrantes do Comando “Insurreccionsita Mateo Morral’, o qual faz parte dos Grupos Anarquistas Coordenados (GAC) e a Federação Anarquista Informal/Frente Revolucionário Internacional (FAI/FRI).

A Basílica de Nossa Senhora do Pilar de Zaragoza é um dos templos mais importantes da Espanha. Além de ser um Patrimônio de Interesse Cultural, declarado pela Unesco, segundo a tradição, nos anos 40 a Virgem Maria apareceu ali em cima de uma coluna.

A partir dela construíram uma capela São Tiago Maior e os sete primeiros convertidos na cidade.